dezembro 25, 2013

Feliz Natal

Oi queridas.

Só passei mesmo para deixar uma saudação de Natal para todos, que estejam passando muito bem com a família, amigos, enfim, com os queridos de cada um.

Por aqui o primeiro Natal junto do meu amor (ano passado ele fugiu para Palmas e eu passei em Floripa, rs) e junto da nossa menininha também. Ano que vem, estaremos seguindo essa coisinha gostosa engatinhando pela casa. Delicinha!

Ontem fiz (quase toda a) ceia de Natal aqui na casa da sogra, incluindo um bombom aberto de sobremesa. Eu também mereço, é Natal. Rs.
Ficou tudo muito bom. Modéstia já era.

Continuamos bem. O segundo médico para o qual fomos transferidos analisou o laudo do ultrassom, me examinou, e nos tranquilizou de que a tal da placenta calcificada grau 2 por si só (já que os outros índices, dados, indicadores e afins estão normais e meus exames ótimos) não quer dizer nada. E como está muito sujeito a interpretação, não é um dado confiável. De qualquer maneira, a modo de segunda opinião, nos agendou um novo ultrassom para sexta feira agora.
Então, a princípio continuamos muito bem.

Sábado vamos para Floripa passar uns dias e mostrar a cidade para o Enos e apresentar ele (e a barriga) para todo mundo.

Can't wait!

Beijos e continuem tendo um ótimo Natal. Para quem não estiver tendo um bom Natal, deixo um abraço apertado e olhe para cima, fale com Deus. Você não está sozinho/a.

dezembro 12, 2013

Grande dia... Ultrassom!

Lá vai então para todos os curiosos que ainda não viram no face...

... temos uma menina a caminho!!!

Grande e forte, com 1,140 kg e 36 cm já. Chutando tudo e segurando o pezinho no ultrassom.
(Apesar de que o orgulhoso papai diz que esse ultrassom não dá para ver nada, só a médica mesmo para entender alguma coisa).

Trouxemos para casa gravadinho em DVD e assistimos mais algumas vezes.

Além de saber disso, também ficamos sabendo que temos uma placenta precocemente calcificada grau II. Amanhã estou indo tentar um encaixe com o médico que tem me atendido, aquele mesmo que disse que "ah filha, não precisa de ultrassom!" Esse mesmo. Para ver o que tem a dizer agora e que atitude terei que tomar a respeito. E de resto, procurar informação pela internet e me educar por conta própria, porque se for esperar o médico falar alguma coisa... xi.

Mas enfim. Vamos em frente.

E meu post revelando que é menina no face teve mais comentários e curtidas do que nenhum outro em toda a história teve. Oi? A minha menina nem nasceu e já está muito mais popular do que eu?
:P


dezembro 06, 2013

De inerências inerentes ao processo natural do milagre da vida

Se tem uma coisa que toda grávida, alta, baixa, gorda, magra, caucasiana, negra, japonesa, rockeira, hippie ou metida a modernete tem que lidar, é com...

... não, nem todo mundo tem estrias.
... não, nem todo mundo tem refluxo.
... não, nem todo mundo tem enjoos.

Se trata de PALPITES, senhoras e senhores.

É incrível, como uma barriga redondinha atrai palpiteiros.

(Assim, não me refiro às amigas, a papos agradáveis e demais, mas a aquelas pessoas tipo 'vem cá, te conheço?' que surgem do meio do nada dando conselhos não solicitados sobre a gravidez alheia e demais).

Não que eu não soubesse que iria ouvir muita coisa, até porque já ouvi inúmeras amigas e conhecidas falando sobre isto, já presenciei diversos acontecidos com a minha mãe quando ela esperava a Fer e depois que ela nasceu. Mas vou dizer, ouvir as coisas que tenho ouvido, provida destes meus hormônios fluctuantes, não é coisa para qualquer guerreiro.
Rs.

Principalmente trabalhando com pessoas, como estou fazendo agora.

É um tal de senhoras (elas são as campeãs, por que será?) aparecendo na loja e engatando no papo-barriga... e todas com conselhos, comentários, palpites e demais. Teve a que jurou de pé junto que vou ter uma menina, e ela "não erra nunca". E teve a que falou "deixa eu ver, levanta para eu ver a tua barriga" e encerrou com um: "é menino". Teve a que perguntou se estou tomando água suficiente porque é bom para a placenta. Teve a que observou que estou me inclinando demais sobre a máquina de costura e meu filho pode estar sofrendo (ai ai), que a cadeira que estou sentada é inadequada, que o calor ou que o frio, que os pés inchados, a dor nas costas e a amamentação, teve quem disse que achava que eu não teria leite suficiente porque meus peitos são pequenos (oi? o que é mais inadequado: fazer uma observação completamente errônea ou simplesmente fazer uma observação sobre os peitos de outrem?). Teve quem perguntou (acho que tem tendências suicidas, só pode) se eu deveria mesmo estar comendo aquele chocolate.

E assim caminha a humanidade.

Tem dias que estou simpática e simplesmente fico no "sorria e acene". Outros dias fico na minha e dou o mínimo de trela possível, fingindo que estou ocupadíssima e concentrada numa tarefa. Outros dias fico mais falante e até dou umas rebatidas que beiram a grosseria. Não me desculpo por isso. Cutucou? Segura a peteca.

E olha que ainda não entramos no assunto "parto". Acho que é porque ainda me faltam 3 meses. A questão do sexo ainda leva a preferência na hora dos palpites.

Aliás, acho que finalmente vamos conseguir descobrir quem habita este corpo redondinho, porque o pai e a mãe aqui também estão que não se aguentam de curiosidade. Quinta feira faremos o ultrassom. 

Vamos tornar isto divertido? Deixem seu palpite. Menino ou menina?

Vou ver se publico uma foto nos próximos dias para ajudar os indecisos. Mas vou adiantando que por aqui os palpites (devido a formato da barriga, à minha pele estar pingando óleo brilhosa e sem manchas, o tanto que mexe, e outros etc que pessoas super experientes -aham- tem apontado) levam menino na preferência, numa proporção de uns 4 a 1.

Vamos lá vamos lá! Bolão!

dezembro 02, 2013

26 semanas

E uma buchuda cada vez maior.
Hoje acordei tipo, yay! 26 semanas. Oficialmente, 6 meses amanhã. Aí ao longo do dia fui achando que a barriga aumentou.
Deve ser coisa da minha cabeça.
Semana passada comprei 2 macacões de plush e 2 paninhos de boca. Aaaaltas compras né? Mas tem que ser assim, aos poucos. 
Até porque está cada vez mais difícil comprar itens neutros sem cair numa monotonia total.
E assim vamos...

novembro 25, 2013

25 semanas

E um bebê que tem horas que parece que quer escapar barriga afora, ou está treinando kung fu, lutando capoeira ou dançando balé. 
A criatura tá doidona das ideias. Nas horas de chutes mais fortes, já da até para perceber a barriga se movendo.
E agora só faltam 15 semanas!
E ainda não temos nada pronto, ai Senhor.
Acho que ainda esta semana faço o ultrassom. 

Readaptação à nova (antiga) cidade:
No dia depois que chegamos, a chefe da minha sogra me chamou para conversar e me ofereceu trabalhar na loja como costureira, enquanto o bebê não chega. Lá se fazem consertos e ajustes diversos, e por estar muito perto de dois shoppings, tem bastante clientela. Eu estava bem destreinada no início, já que não chegava perto de máquinas de costura há... um bom tempo. Mas enfim, duas semanas depois, estou me adaptando bem e já peguei prática em várias coisas.
Semana passada, o Enos foi chamado numa empresa também. Começou hoje.
Assim pois, estamos os dois trabalhando, apenas 3 semanas após termos mudado sem nada em vista. 
A próxima prioridade é encontrarmos um lugar para morar. Por enquanto estamos na casa da mãe do Enos, mas estamos procurando uma casinha. Não tem sido muito fácil: já vimos lugares desastrosos onde proprietários pedem valores absurdos. Já vimos a casa do pássaro, como contei há alguns dias. Já vimos cada coisa! Mas continuamos confiando que logo vamos encontrar a casinha do jeito que necessitamos e que caiba no nosso orçamento.

E assim vai, a nossa vida esta semana.

novembro 21, 2013

Indo visitar o médico

Tirei um tempinho para ir ao médico hoje.
A princípio ia no posto aqui do bairro, mas pensando bem, iriam fazer meu cadastro, querer comprovante de residência (que não tenho ainda) e vir me visitar porque é pura frescura assim funciona o sistema, tudo isso antes de me marcar uma consulta, e eu sou uma pessoa desprovida de altas doses de paciência.
Então fui no posto antigo, aquele que eu ia antes de ir para Palmas. Não é longe daqui, mas não é o posto do bairro. Fiz cara de sonsa e reativei meu cadastro, que já estava como provisório. Espero que a agente de saúde não decida "me visitar", pois no meu endereço antigo vão revelar que não voltei para lá.

Mas enfim né... por acaso o médico que costumava me atender estava lá hoje e não tinha mais pacientes, então me atendeu hoje mesmo. O Enos foi junto e pudemos ouvir os barulhinhos do bebê mais uma vez. Me marcaram mil e um exames (sangue, urina, e mais sangue para teste de glicemia, com o qual já estou antecipando uma das minhas famosas cenas - me impressiono fácil, pressão baixa e logo estou sendo amparada até a maca mais próxima. É, ossos do ofício).
A parte chata é que não teve jeito de o médico fazer uma requisição para ultrassom. Que já estou com 24 semanas, que só fiz 1 ultrassom e foi quando tinha 13 semanas, que ainda não sabemos o sexo do bebê, nada foi argumento suficiente. Eu não sou aquela mulher louca do ultrassom todo mês, e no início nem queria saber o sexo antes de nascer (preferia a surpresa), mas poxa vida, vai criando expectativa né? 
É tanta, mas tanta gente perguntando, desde familiares até caixa de supermercado e clientes da loja (logo conto sobre isto), dando palpite, (essa barriga redonda? Hummm, é menina! Ou: Só tem barriga! É piá com certeza! -menino, segundo o dialeto paranaense-). Assim vou ficando cada vez mais curiosa.
Além do mais, realmente fica difícil focar em nomes tendo que pensar para os dois sexos. E deve ser mais legal começar a chamar o bebê pelo nome, imagino.
(Fizemos algumas tentativas, mas ainda não há um que digamos: é este!).

Estou pensando em fazer particular mesmo. Mas é uma facadinha de 75 reais que não podemos simplesmente tirar do bolso sem pensar duas vezes, pelo menos.
Ai ai... decisões.

Ah sim. No que parecia ser a coisa mais improvável do mundo, a buchuda aqui está trabalhando. O Enos também arranjou trabalho e começa semana que vem. Deus é bom e cuida de nós em tudo.

novembro 17, 2013

24 semanas

Completaremos amanhã.

(Ou, para quem mede o tempo em dias bíblicos como eu, de por do sol a por do sol, completamos hoje já que já é noite).

Continuamos sem saber se o ser que me habita é um ou uma. Por conseguinte, continuamos sem consenso em relação a nome, assunto que concordamos em adiar até saber qual lado tomaremos.

Em consequência, também não tenho comprado mais nada. Acontece que, por uma dessas invenções toscas da sociedade em que habitamos, artigos de bebê se dividem em "menino" ou "menina", sem espaço para neutralidades de gênero. Dá vontade até de espancar certas atendentes de algumas lojas que quando digo que procuro algum artigo neutro me olham como se estivesse pedindo um elefante listrado que dance mambo. E não, não vou fabricar artigos por mim mesma porque a vida anda muito doida para me permitir semelhante luxo. Já é suficiente pensar na cobertinha de crochê na qual não encosto há uma semana, no mínimo. 

Continuamos procurando uma casinha para alugar, vulgo "um cantinho para chamar de nosso". Hoje fomos ver uma casinha aqui perto (eu, mozinho e sogra), mas não alcançamos a ver tudo: estávamos vendo o quarto, de teto baixo, quando um pássaro, uma rolinha na realidade, que pelo visto mora na casa, começou a voar e se debater contra o teto, logo acima de nossas cabeças. Pois bem, quem me conhece sabe o pavor de aves que tenho. Imagine então a cena repleta de drama, ação e aventura, de uma buchuda berrando e tentando sair do cômodo o mais rápido possível, agachada (porque vai que o pássaro se batia contra o teto e caía na minha cabeça? instinto fala mais rápido), sem ver mais nada, e logo depois tremendo enquanto mozinho e sogra corriam atrás da buchuda (porque obviamente são pessoas normais e após o susto inicial de ver um pássaro se debatendo dentro da casa, não enlouqueceram). O Enos ficou assustado por mim, coitado, porque olha, eu tremia, soluçava, pedia para todo mundo me largar (sogra tentou me abraçar para me acalmar, mas eu só queria sair da casa correndo e respirar lá fora). E por aí foi. Horrível.
Pronto, pode rir agora.
Eu ri depois. Tipo, beeem depois. 
Porque, né, é o tipo de coisa que acontece só com a pessoa que tem medo/fobia. Com outras pessoas não acontece nunca.
Mas enfim. Decidimos voltar outra hora para ver com calma, sempre que o Enos entre primeiro na casa e se certifique de que não tem mais pássaro nenhum. 
Sei lá viu? Fiquei com trauma agora. 

novembro 06, 2013

De hoje

Está frio em Curitiba. Tipo, não inveeeerno quando nevou, mas para dormir com dois edredons. E sair na rua de jaqueta de frio. E já é novembro.
(Não me queixando, mas a título de informação. Lembrando que já estamos na metade da primavera).

Bebê mexe. Chuta. Dá cotovelada, cabeçada, joelhada, dança funk (não, isso não), sei lá eu. É muito gostoso. Hoje o Enos conseguiu sentir também. Estamos uns babões e vamos ficar mais ainda.

Com a mudança e tudo mais, vou ter que mudar a lista de enxoval que tinha montado baseado em diversos sites e blogs de mães mais experientes. Passou de "eterno verão onde suamos em bicas" para "outono/inverno com temperaturas abaixo de zero". Bom que dá para tricotar e crochetar um pouquinho mais.

Se alguém tiver sugestões sobre o que funcionou/deixou de funcionar, vale a pena/não vale, aceito.

novembro 05, 2013

Hello there!

Quem quer novidades?
Lá vai:
Cansei de Palmas.
Cansei do calor.
As coisas não estavam dando certo por lá.
Arrumamos as coisas e voltamos para Curitiba. 
Fizemos uma "escala" em Brasília para visitar parentes do Enos. E para que eu conhecesse a cidade também, já que nunca tinha estado no Planalto Central. 
Bem interessante por lá, apesar de que não saímos muito. Mas deu para visitar os prédios famosos: a Biblioteca e o Teatro Nacional (só por fora), o Museu Nacional e a Catedral (ambos projetos de Niemeyer), a Esplanada dos Ministérios, Congresso Nacional etc etc. 

Me chamou a atenção o certo ar de abandono que cerca o gramado do Congresso Nacional. Sim, eu sei que qualquer protesto que surge logo ocupa aquele gramadão e faz um tremendo estrago, mas mesmo assim acho que logo que desocupa deveria ser arrumado e estar impecável, não com papéis jogados aqui e ali e placas pichadas e cheias de adesivos do MST e o que for. Igualmente a Alameda das Bandeiras, que deveria ter as bandeiras dos Estados todas identificadas e impecáveis, mas pelo contrário, algumas estão em farrapos e várias simplesmente não estão, apenas os tristes mastros vazios. 

Mas enfim.

Aí então, ontem de manhã pegamos o ônibus rumo a Curitiba, odisseia que por terra leva 24 horas. Chegamos até um pouco mais cedo do esperado, e isso porque o ônibus vai fazendo muitas paradas nas enormes lanchonetes da beira da estrada (caríssimas), de uma rede famosa. Imagine, uma pessoa grávida de 22 semanas sem muito o que fazer, parando a cada 3 ou 4 horas para um lanche nessas lanchonetes inflacionadas. Catastrófico.

Mas enfim, chegamos hoje cedinho no friozinho curitibano. Dois adultos, uma barriga, várias malas e uma caixa bem grande.
E agora mais uma vez, adaptação. 
Sempre adaptação.

outubro 14, 2013

Mais notícias da terra das mangas e dos pequis

Oi gente.
Continua sem chover por aqui. A estação das chuvas deve começar entre agora e novembro, mas ainda nada. Mesmo significando que a chuva vai trazer um pouco de fresco para este lugar quente, pessoalmente prefiro que continue assim mais uns dias até nos organizarmos melhor.

O trabalho está encaminhado e tem tudo para dar certo, esperamos que seja nas próximas semanas agora. Tem a ver com a empresa que eu estava trabalhando em Curitiba antes de vir. Se tudo der certo, logo começamos.

O baby às 19 semanas continua crescendo firme e forte. Ainda não temos data para o próximo ultrassom, mas espero que seja logo para podermos saber o sexo. Já tem até bolão por aqui.
Alguém aí tem um palpite?

De resto, com parte das minhas coisas aqui, parte na casa da minha mãe e uma caixa a caminho com outra parte, vou me virando e adaptando o que da. Não vejo a hora de estar na minha casinha e poder fazer as coisinhas para receber o bebê. Por enquanto, comecei a fazer uma mantinha multiuso de crochê, mas só. E algumas roupinhas neutras que comprei, mas não muita coisa. A minha irmã me deu um monte de roupinhas do Pedro, mas deixei tudo na casa da minha mãe para que me mandem depois. Por enquanto, não preciso delas não é?

E é isso.
Esperando ansiosamente começar a sentir os movimentos do bebê. De vez em quando até acho que sinto, mas sei lá, talvez não sejam. Talvez sejam... Gases. Rs.
Volto logo, não me abandonem.
Estou escrevendo no iPod, então tenham paciência.
Beijos.

outubro 03, 2013

Notícias da terra das mangas

Oi gente.
Me reportando aqui da terra seca das mangas. Isto é porque:
A não ser uma ou duas pancadinhas esporádicas durante a noite, aqui não chove. Não mesmo. Desde abril até novembro, quando deve começar a época de chuvas.
Tem pé de manga por tudo que é lado.
Faz 40 graus ou mais. Todo dia.

Sendo assim, ainda estou me acostumando a hidratar, não derreter e tomar de 2 a 3 banhos por dia.
Não tenho internet regular, por isso demorei para vir. Mas espero não me perder de vista porque gosto do meu blog e das amizades que fiz e faço por aqui.
Estou teclando no iPod.
Ainda estamos lutando na dupla questão emprego-moradia.
Ah e de todas a grande novidade (que era parte do que queria contar mas não sabia se expor ou não porque nesta vida tudo acaba no facebook e estou cansada dessa exposição toda e tudo mais e blá blá blá, mas para vocês posso contar):

Temos um baby a caminho!

É isso mesmo, temos um cisco de gente (não tão cisco, já estamos com 17 semanas) que já está deixando nossas vidas mais coloridas.

E é isso gente.
Prometo voltar logo.
:)

agosto 30, 2013

Paradoxos

Vontade de contar as novidades
vs.
pouca vontade de me expor

Como lidar?

Se alguém descobrir, me conta?

agosto 29, 2013

Cada vez mais perto

Agora faltam 8 dias para mudar e as coisas continuam mais ou menos no mesmo ponto.
Cada "viagem" que faço pela casa, cato mais duas ou três coisas, levo para a caixa e anoto na lista o que são, para me lembrar onde estão. Mas o ritmo não é suficiente para dar conta.
Pudera, com o frio que está fazendo não tenho coragem de guardar roupas de inverno ainda, nem minhas cobertinhas, que uso sobre os ombros para andar pela casa. Vai que preciso delas nesta semana ainda.
Está frio demais e as casas e locais não comportam, não conseguem segurar o calor. Saudades das casas americanas, onde o heater ajudava a fazer o inverno mais prazeroso.
Aqui eu não aproveito o inverno, mas o sofro! E isso não é vida.
Acho que semana que vem meu pai vem para levar as coisas (ele não sabe, mas provavelmente também vai ter que desmontar o armário. Rsrs), então tem que estar tudo pronto. 

Ai ai... queria tanto pular estes últimos dias de arrumação e ir direto para a parte que vou ver a minha mãe e depois o Enos!

agosto 26, 2013

A 11 dias de ir embora...

... ainda não tem malas prontas, nem coisa que o valha.

Porque né, viver perigosamente é o que há. 
Só que não.

Mas fiz cupcakes ontem. 
E vi o filme "A Outra", que fazia tempo que queria assistir.
E dormi, porque estou precisando.
E sábado à noite fui rir com amigos numa noite de jogos.
Ai ai... preciso tomar jeito.
Mas pelo menos... lavei mais roupa!
(tipo, é a única coisa que faço).
Estive separando livros, e os que não vão já estão indo para uma caixa. A fim de me organizar melhor e poder lembrar dos objetos que tenho, estou escrevendo uma lista das coisas que vou colocando na caixa à medida que as vou guardando.
Daí, como estava separando meus amados livros americanos de culinária e vendo quais vale a pena levar e quais podem esperar para ir depois, me deparei, assim como quem não quer nada, com um livro delicioso sobre cupcakes. É claro que decidi fazer alguns porque né, ingredientes para cupcake é o que nunca falta não minha casa.

agosto 22, 2013

Só mais duas semanas...

... de trabalho.

Por enquanto!

Duas semanas em que preciso empacotar minhas coisas. Que não são muitas, e fora a cama não tenho realmente móveis (ahhh a minha cama tão bonita que tão caprichosamente lixei e pintei de azul... mas enfim, a vida segue!). Mas mesmo assim é uma quantidade bonita de livros, artefatos de cozinha e etc. Inclusive as roupas de inverno, pois para onde vou não são necessárias. Só que essas ainda estou usando estes dias, então não posso mesmo guardá-las. 
E preciso terminar pelo menos um dos três livros que estou lendo, assim não o levo junto e tenho espaço para um outro livro novinho. Os outros, mamãe vai me enviar em pequenos pacotes depois. Não adianta levar tudo agora e gastar com excesso de bagagem (a cota de 23 quilos é muito pouquinho!) se não vou ler muitos deles em pelo menos outros 12 meses.

Vou para a casa da minha mãe por uns dias, e depois de lá mesmo vou para Palmas.
Está se tornando mais real, e a cada dia vai ficar mais e mais real e mais concreto, mas preciso manter a calma.
Muita água rolando nos próximos meses. 
Muitas coisas novas.
E não é só mudança.
Ai ai ai...

agosto 20, 2013

Frustrada

Ontem fiz o bendito pão.
Não deu certo.
Acho que o fermento estava velho.
Não cresceu.
Ficou uma massa dura e meio salgada demais.
Whatever, estiquei, cortei em pãezinhos, abri, coloquei recheio, enrolei e pus no forno.
Está comível, assim, comível. Só. Como eu odeio jogar comida fora (e está um pouquinho acima da linha do "comível"), vou comer mesmo assim.
Primeira experiência com pão, fail.
E essa de ficar deixando levedar não é bem comigo. Exige muita antecedência, planejamento, etc.
Vou, definitivamente, deixar a arte de fazer pão para o Enos. Ele faz ótimos pães.

Mais um dia em que não encaixotei nada. Sequer tirei a roupa do varal.
Tudo por causa do bendito pão.
Rs.

agosto 19, 2013

De domingo e de pensamentos diversos

Eu fico contando os dias para trás e para a frente: faltam tantos, já foram tantos, etc... levo umas 3 contagens diferentes de diferentes "prazos". Sei que isso gera mais ansiedade, mas não consigo evitar... tenho um lado bagunceiro (meu quarto que o diga), mas tenho outro lado cuja organização chega aos limites do irritante, e uma mania de números, de gráficos, de contagens, de estatísticas, de periodicidades. 

Às vezes penso em viver de maneira mais leve e esquecer todos esses números, viver um dia após o outro. Mas só pensar nisso me deixa confusa: como poderia viver desse jeito? Seria quase como quando era criança e estava de férias, e por não escrever a data todos os dias, por não ter rotina durante a folga, nunca saber se era quarta, segunda ou domingo. É mais ou menos esse o efeito que me causa viver sem meus "números". Viveria perdida num "limbo" sem controle, sem parâmetros, sem limites. Non gosto.

Ontem acordei inspirada, venci a preguiça e fiz um clássico da culinária reposteira uruguaia e estrela de muitos aniversários nessas terras do além-do-sul: alfajores de maizena.


Não apto para celíacos, diabéticos nem intolerantes a lactose. Não integrais. Sim, eu poderia adaptar a receita e torná-la mais amigável, mas perderia a essência alfajorística.
Mas enfim, acho que foi maizena demais e ficaram muito, muito quebradiços. Quando fui montar os alfajores com o dulce de leche, a maioria das tampinhas se quebrou. 
Mas enfim, eu e a Rita nos deliciamos.
Se alguém se interessar por esta delícia da culinária uruguaia, deixe um comentário que mando a receita.

Ia também fazer um pão recheado, integral, saboroso e nutritivo para me redimir, mas no fim os alfajores tomaram tempo demais e ficar muitas horas em pé me deixou muito cansada, então esqueci a estória do pão e sentei com um pratinho de alfajores para assistir uma maratona de episódios de Friends (os quais já assisti tantas vezes que ficava antecipando os diálogos e as situações e rindo por antecipação. A Rita já sabia que vinha algo engraçado porque eu já estava rindo 20 segundos antes).

E assim foi o domingão por aqui.
Arrumar a mudança? Hein? Peraí que me atacou a surdez seletiva.
Mas pelo menos lavei roupa.
Hihihi.

agosto 16, 2013

Post de raivoso desabafo - ALERTA

Por que, por que, por que, este meu post de ontem foi parar nos rascunhos?

Eu, pessoa que foi criada acostumada com o clima frio nos longos meses do inverno, e que até então via como algo tão bonitinho e etc e tal, estou

MUITO IRRITADA

com este frio curitibano.

Não sei se é vontade de ir embora logo ou o quê, mas este inverno está me estressando demais! Não dá vontade de nada a não ser ficar enfiada debaixo de 3 cobertores, mesmo sabendo que tenho coisas para fazer. Lavar roupa? Ha-ha, só quando não tiver 1 calcinha limpa em casa. Lavar louça? Detesto louça acumulada por mais de 24 horas, então lavo todas as manhãs, xingando e rangendo os dentes. Tomar banho também faz me irritar muito. Ter vontade de fazer xixi é irritante, pois significa mais frio. Argh. Sem contar o seca que fica minha pele no frio. Minhas mãos parece que tem 60 anos, tão secas que estão. Mesmo usando hidratante.

Juro que vou ficar muito feliz quando estiver usando um vestidinho no clima quente de Palmas. 
(depois vou pagar a língua e reclamar do calor e da falta de chuva, mas enfim, essa é outra história).

 Alguém sabe onde compra paciência? Preciso de um frasco dos grandes!

agosto 14, 2013

Novis

Passagem comprada, graças ao generoso presente da minha amigota Maria! Menos de um mês para ir primeiro para Floripa passar uns dias com minha mãe e irmãos e depois para estar de volta, em definitivo, em Palmas, com o meu amor.
Energia zero para começar a arrumar as coisas, principalmente com este frio curitibano... mas pelo menos as listas estão prontas e algumas coisas já estão de caso pensado. E também, a maioria das coisas não posso empacotar até bem perto da data da viagem, porque ainda vou precisar usá-las.

Ou seja, vai ficar tudo para a última semana, as usual. :P

Mas enfim, sem estresse, porque não preciso de nada disso. É para ser divertido.

Na minha cabeça ainda não é muito plausível que seja um país só com dois climas tão diferentes. Aqui, esse frio que chegou a nevar esses dias. Hoje, uma chuva intermitente e gelada. Lá, mais de 30 graus todos os dias, e há meses que não chove. E tem mais metade do Brasil para cima e para os lados. Mesmo sabendo das dimensões deste país desde sempre, na prática o negócio é... intenso.

Descobri um seriado novo! Eu que estava órfã de Desperate Housewives após sei lá, umas 10 temporadas, comecei a assistir Devious Maids ontem. É numa linha parecida, só que do ponto de vista das empregadas. Latinas. Mistério envolvido. Bem interessante.
E também estou assistindo The White Queen, seriado histórico, dramático e pesado - história real sobre o período da guerra das rosas, Inglaterra, Idade Média. 


agosto 12, 2013

Era para...

No fim de semana, era para...

... eu ter empacotado pelo menos alguma coisa.
... eu ter feito algumas listas (listas, listas, amo listas!) para não esquecer das coisas que preciso resolver sobre os mais diferentes assuntos. Inclusive, as coisas que vão, as coisas que ficam, e as coisas que ficam empacotadas para viajarem mais tarde.
... eu ter comprado verdurinhas e outras coisinhas saudáveis para comer.
... eu ter esvaziado a mala e começado a encher das coisas que preciso levar.
... eu ter procurado valores de passagens para Palmas, e de preferência já ter comprado.

Era para eu ter feito tantas coisas! Mas enfim, o que fiz foi:
* Catei na rua uma caixa de papelão que estava dando sopa e estava limpinha, para começar a encaixotar algumas coisas.
* Dormi.
* Fui com o coral fazer serenata de dia dos pais no sábado à noite (um frio, devia estar fazendo uns 8 graus em Curitiba, mas enfim. Foi bem legal, igual ano passado).
* Fui comer na Hamburgueria depois da serenata (eu não conhecia o local), e esta lanchonete já ganhou meu coração pois tem um hambúrguer VEGETARIANO. É tipo um bolinho de arroz e cenoura ralada, temperado e moldado em formato hambúrguer, claramente artesanal, grelhado, servido, como todos os outros hambúrgueres, num pão (de padaria, não de pacote!) fresquinho e crocante, com salada, cebola fritinha, picles e cheddar. Ou seja, muito amor pela não discriminação dos vegetarianos! E tudo a um precinho camarada, mais barato que os "lanches" daquela dúbia cadeia de lanchonetes que todo mundo conhece e não preciso nem nomear. (quer dizer, pelos preços praticados no Brasil, onde é considerado coisa boa - não dollar menu. Ops!)
* Dormi mais um pouco no domingo.
* Esperei o meu pai que justamente estaria passando por Curitiba e a princípio viria almoçar comigo. Me arrumei e tal... só que acabou se atrasando e só chegou às 4 da tarde. Enquanto isso assisti o episódio da semana de The White Queen e procurei passagens, sem sucesso. Quer dizer, com sucesso para as companhias aéreas! Como está caro viajar!!! Terrível. Não consegui decidir.
* Saí para passear com o meu pai e o colega dele (estavam de passagem, indo para uma exposição aqui por perto, mas tinham que esperar outra pessoa chegar de avião de noite, então tinham a tarde livre e passeamos), fomos mais uma vez no Botânico, no Centro Histórico e depois na torre da Oi, que eu não conhecia ainda, e que permite uma vista da cidade toda. Pena que estava anoitecendo e se via mais reflexo nosso no vidro do que vista da cidade em si. Mas valeu.
* Aí depois fomos numa pizzaria encerrar o dia dos pais, me levaram de volta para casa e foram embora.

Ou seja, não fiz quase nada da minha lista, mas fiz outras coisas muito importantes, divertidas e interessantes. Win-win.
Porque, né, o resto depois eu resolvo.

agosto 08, 2013

agosto 01, 2013

Oi gente!

Ufa... quantos dias.
Tenho andado correndo bastante no trabalho e preparando posts novos para o blog de consultoria nos tempos livres (que não são muitos). Depois do dia todo na frente do computador, quando chego em casa só quero cama! Para terem uma ideia, é quinta feira e ainda não baixei as fotos que tirei no aniversário do meu sobrinho Pedro sábado passado. Fui para Floripa participar de tal ocasião de muito regozijo. Tivemos festa temática do Woody e companhia, gordices diversas em forma de docinhos, salgadinhos e bolo, festa de pijama e domingão de sol e rede, muita alegria e boas notícias. Delícia!

Aliás, sabe quando você percebe que está ficando velho/a?
Quando ao ser convidado para uma festa, seu primeiro pensamento ao invés de ser "que bom, vou me divertir pra caramba" é "que bom, comida de aniversário!".

E uma viagem mega cansativa, tanto na ida quanto na volta. Para terem uma ideia, na ida a viagem que era para demorar 4 horas levou quase 6. É que nos colocaram num ônibus com defeito que não tinha força para fazer as subidas, e depois tivemos que trocar de ônibus. Na volta, a fila de sempre no trecho Florianópolis - Curitiba. Faz parte!

Assim então, só agora então que fiz um tempinho para minha cabeça e vim fazer um post direito.

E já que estou promocionar mais uma vez meu blog de consultoria, que está com post novo bem interessante que acabo de finalizar, para quem quiser dar uma olhada. Do feedback de vocês depende a divulgação mais ampla que pretendo fazer, via facebook e demais meios. Sabe como é, sou insegura e preciso de aprovação. Rs. Vocês são meu público inicial, são privilegiados viram? :P

Desde já agradeço a quem passou por lá e prestigiou este projeto novo (sim, vou ficar chata e fazer um pouco de jabá, porque né, o blog é meu. Os dois. Muah!)

Deixa eu ir agora. Prometo não demorar muito para voltar.
Muitas novidades vindo, ai ai ai!

julho 19, 2013

Apresentando...

Oi pessoas bonitas!
Como comentei antes, estou fazendo algumas mudanças na vida e começando alguns projetos novos. Isso me deixa bem feliz e entusiasmada, pois adoro um bom projeto com cheirinho de novo.

O primeiro destes projetos a tomar forma é meu Blog de Consultoria de Imagem.
Quando comecei, meio que por acaso, a estudar image consulting há dois anos, logo surgiu a ideia de prestar consultoria via internet e também de escrever um blog. Porque, né, pessoa como eu, que fala o possível e o impossível, também gosta de escrever e de compartilhar. E o campo de estudo me apaixonou desde o começo, por mexer não só com a parte que me fez estudar Moda (cores! tecidos! alegria! combinações! roupas!) como também com o lado humano, único, extremamente pessoal, e que torna esse lado "Moda" acessível a todo mundo.
Então, se gostaram da ideia, ou mesmo só por curiosidade, ou mesmo sem curiosidade nenhuma mas por amizade para com esta pessoa, visitem o Blog Marispil Consultoria.
E se gostarem e não for pedir demais, voltem mais vezes que sempre vai ter leituras fresquinhas.
E ainda não querendo abusar da boa vontade de vocês, contem para seus amigos/as!
E sei lá, me sigam, me acompanhem, me curtam, e tudo mais.
(Que pidona, né? Mas vocês me amam e querem meu sucesso, não é mesmo? Rs).

julho 09, 2013

Tempo passando...

E minha vida mudando, prum lado e pro outro, oferecendo novas possibilidades, novos caminhos, novos desafios...
Deixa assim por enquanto, depois conto mais.

Ah e comprei uma gaita e estou aprendendo a tocar. Até agora, aprendi a escala musical, o que já é um avanço e tanto.
E estou lendo 3 livros ao mesmo tempo. Como sempre.

julho 01, 2013

Metade do ano

Acabou o primeiro semestre do ano.
Por aqui, o que teve?

  • Teve virada do ano sozinha em casa, confortável por um lado, solitária pelo outro. Nunca mais quero uma dessas.
  • Teve resolução de perder peso, mas nenhuma atitude séria.
  • Teve a volta do amado, que estava passando uns dias em Palmas.
  • Teve a resolução do amado de que iria voltar de vez para Palmas e o início de um relacionamento de longa distância.
  • Teve despedida e viagem para o Uruguay.
  • Teve tomada de decisão e atitude séria para reeducar a alimentação, ficar mais forte e perder peso.
  • Teve um mês de vida saudável, corrida e exercícios.
  • Teve jogar pro alto toda a vida saudável.
  • Teve ida para Floripa porque "que se dane o resto, eu quero um abraço da minha mãe".
  • Teve planos.
  • Teve cursos virtuais e muito "exercitamento de cérebro".
  • Teve muitos eventos com o Chama coral.
  • Teve ida para Floripa no dia das mães.
  • Teve compra de passagem para desbravar o Norte e assim, o início de uma ansiosa contagem regressiva.
  • Teve comer descontroladamente por causa da ansiedade da viagem.
  • Teve viagem com o Chama e gravação de DVD.
  • Teve um pouco de leitura, mas bem menos do que tinha planejado quando o ano começou.
  • Teve -finalmente- férias em Palmas com o amado e um reencontro mais do que lindo.
  • Teve amado fazendo declaração absolutamente linda.
  • Teve aniversário na agradável capital do Tocantins.
  • Teve lidar com despedida e tomar decisões importantes, e novos projetos para os próximos meses.
  • Teve um projeto especial de oração para renovar forças e me aproximar de Deus.
E que venha julho! E que venha o próximo semestre! 

junho 24, 2013

Palmas em fotos

Ai ai... o frio e chuva de Curitiba só fazem aumentar a saudade dos lindos dias passados no Tocantins. Mas enfim né... enquanto não começo a programar a volta, fico com as *fotinhas* que tirei enquanto estive lá.
Então vamos a o que teve?
(Se prepara que a lista é grande e as fotos não estão com qualidade muito boa porque as retirei do meu face. É que, se for esperar para ter tempo de fazer isso em casa, vão passar semanas! Rs)

Teve aeroporto de Ctba com muita neblina e atraso de 3h e meia

Mas finalmente teve casal se reencontrando

Teve noite italiana de namorados

Tudo a caráter

Teve dia no sítio com lago e tudo

E a flora local

Teve passeio pela Praça dos Girassóis e Palácio Araguaia

Detalhe do portão do palácio: escudo do Estado.  Após tirar um monte de fotos do lado da grade, rodeamos o Palácio e eis que do outro lado não tem grade - é aberto. Shame shame shame.

Teve esta pessoa que vos fala fazendo caras.

E expondo sua alva epiderme numa cachoeira que - ops! - na verdade era a fonte da praça.

Teve subir numa árvore no chão. Detalhe: árvore de mentira, era feita de concreto!

Teve bobo alegre

Teve muito carinho

Teve um papo cabeça com o Prestes

Teve monumento "18 do forte"

Respeitamos o monumento e o que ele representa, mas gostamos de interagir também.

Uns mais que outros.

Viva a liberdade! Agora corre amor, antes que o guarda veja. :P

Teve rosa dos ventos, dentro do Palácio, que indica o centro geodésico do Brasil. Eu, parada do lado Sul. Ele, do lado Norte. 

Teve a vista geométrica da varanda do Palácio. Olha a avenida que parte da Praça,  retinha e alinhada, acabar na ponte que atravessa o rio.

Teve uma pessoa louca e suada visitando o Palácio.

Teve mais palhaçadas na praça gigante.

E teve o tal do Pequi, que não deu pra conhecer porque não está na época. A árvore e o letreiro foi tudo que vi do tal do pequi. Rs.
E aí acabou!
Quando são as próximas férias mesmo?

junho 21, 2013

Viagem e parte ruim (ou seja, a volta)

Oi gents.
Voltei.
Foi tão curto!
Palmas é uma cidade bem legal.
Não deu tempo de conhecer muita coisa, mas o que conheci gostei. Confesso, não achei a cidade mais linda do mundo (desculpa Dominique!), Curitiba é mais bonita e Florianópolis também, mas os dias de calor foram muito bem vindos, e principalmente as noites. Em Palmas, de noite, as lanchonetes colocam mesas nas ruas e as pessoas jantam tranquilamente sob a noite tranquila e cálida. Isso é algo que amo muito.
E também, é uma cidade nova que tem menos idade que eu (ui, velha!), então era de se esperar que a estrutura não fosse como as capitais que tem 200, 300 anos. Mas é uma cidade que tem grande potencial, com certeza!
Foi engraçado porque cheguei com esse meu bronzeado de inverno curitibano (nível: transparente) que até o Enos se assustou, mas nos dias que fiquei por lá deu para dar uma coradinha (ganhei um nível de frango de padaria quando está começando a assar. Mas só começando mesmo!).
Gostei muito também da geometria da cidade, das ruas paralelas e quadras que de verdade são quadradas. Coisas que só uma cidade planejada tem.
Gostei da Praça dos Girassóis, que é a maior praça das Américas e a segunda maior do mundo, perdendo apenas para a Praça Merdeka na Indonésia.
Gostei de ter ganho um tour pelo Palácio Araguaia (palácio de governo), onde está no chão a rosa dos ventos que marca o centro geodésico do Brasil. A vista de lá é linda.
Gostei de ter acampado num sítio e ganho uma homenagem linda, linda, linda demais do meu amor. 
Ele fez um poema e um desenho de nós dois e fez a homenagem com recitado de poema e entrega do desenho emoldurado no meio do jantar dos namorados da igreja, que participamos no sábado à noite.
Foi a coisa mais linda do mundo.
Aí depois de alguns dias de felicidade, as férias acabaram.
A despedida foi triste. 
Chorei com ele, chorei no aeroporto, chorei no avião quando olhei para baixo e me despedi do Tocantins ficando cada vez menor, chorei quando aterrisei em Brasília, chorei no segundo voo, chorei quando aterrisei em Curitiba, chorei quando cheguei em casa e vi o calendário com os dias das minhas férias marcados. Chorei que quase desidratei de tanto chorar.
Mas passou.
Os planos são muitos.
E agora, é apontar para o futuro!
(volto depois com fotos, do meu computador).

junho 12, 2013

2 dias para a decolagem

Faltam dois dias.
D-O-I-S.
Coraçãozinho que não cabe no peito de tanta ansiedade.
(Clichezinho, mas não é que o danado explica exatamente o que estou sentindo?)

Falta: Fazer unhas, separar roupas, fazer mala, separar dinheiro para deixar as contas pagas, comprar lanchinhos para a viagem, depilação (já devidamente agendada), comprar frasquinhos pequenos para levar meus produtinhos na mala de mão, embalar um presente, e mais outra meia dúzia de coisas.

E falta eu parar de comer tudo que vejo pela frente por conta da ansiedade.

Dia dos namorados esse ano é só no calendário, eu terei é uma semana dos namorados. Logo mais!

Vou do norte do Sul ao sul do Norte. Eu vou, eu vou.

Tá, parei.

junho 04, 2013

Dias assim

10 dias para embarcar para o Tocantins.
Daqui até lá, toda uma programação diária para resolver tudo que precisa ser resolvido.
Mas hoje acordei não muito animada, sorry.
E com cólica desde a madrugada, o que é uma droga.
Estou fazendo uma desintoxicação de suco hoje porque andei comendo coisas indevidas e pouco saudáveis e preciso dar uma limpada no organismo, o que de vez em quando é bom.
E naquele mood de me esconder atrás de meus óculos de sol, aquela jaqueta de capuz que esconde orelhas e mãos e abriga até meu ipod, devidamente guardado e com os fones nos ouvidos, livro na mão, desligada do mundo. 

maio 22, 2013

Quebrando a rotina

Hoje à noite vou com o coral em mais uma aventura.
Vamos participar da gravação de um DVD chamado "Adoradores", da Novo Tempo.
Estamos todos muito entusiasmados, já que fomos convidados para participar deste projeto que vai ter distribuição nacional, ver de perto todo o making of de um trabalho bem legal, enfim, participar disso tudo e de quebra conhecer alguns dos cantores que gostamos (tentando não ser muito tiete, porque né. Pega mal). É o Chama chegando a todo o Brasil!
Vamos hoje à noite, gravamos amanhã, voltamos amanhã à noite. Sexta feira todos bonitinhos de novo, trabalhando como se nada.
Não deu tempo de fazer a mochila ainda, e a roupa que lavei ontem à noite deve ter se molhado um pouco no varal com a chuva que caiu agora há pouco, apesar de estar sob o telhadinho.
Mas tudo há de dar certo.
-------------
Só faltam 23 dias para eu viajar para Palmas.
Estou tão feliz!
Nem posso acreditar que em menos de um mês vou ver o meu amor de novo.
Ele me surpreendeu ontem... me dedicou uma música linda, linda, linda... ai ai.
...
...
...
Logo logo estarei lá.

Ando viajando tanto estes dias não é mesmo? Floripa, São Paulo e Tocantins. :D

maio 13, 2013

Dia das Mães

Fui para Floripa no fim de semana, pude dar uns abraços bem apertados na minha mãe, jogar conversa com meus irmãos e rir de doer a barriga com as macaquices dos pequenos. E no fim, até dar um beijo no meu pai que chegou ontem à tarde, faltando 2 horas para eu ir embora, trazendo (porque meu pai é o rei das invenções mirabolantes) uma OVELHA que comprou numa exposição rural das que ele frequenta. 
Sim, senhores, uma ovelha. Um cordeiro, na verdade, que gostou do pátio gramado e começou imediatamente a tosá-lo de seu jeito. E ganhou um banho também. Nunca tinha visto um cordeiro tomar banho.
Hoje mesmo ele já irá viajar de volta e levar o bichinho, já que nem é permitido ter animais assim em casas no perímetro urbano. E também porque a minha mãe (com toda razão) teria um treco se tivesse que cuidar, de repente e sem aviso, de nada mais nada menos que um cordeiro. Mas foi bom para que a Fer conhecesse um de verdade, já que nunca tinha visto. A reação dela foi bem curiosa de se observar, bom, a Fer sempre foi uma criança de reações curiosas ao ambiente. Ela tem um modo de pensar e sentir que nunca vi numa criança. 

Mas enfim, ovelhas à parte, foi um final de semana bem gostoso. Fizemos caça ao tesouro de presentinhos de dia das mães, eu e meu igualmente nerd irmão (ou quase isso. Não me conformo que ele não curtiu the Big Bang Theory) começamos a assistir a saga Star Wars, brincamos com o Pedro, que aos 2 anos e 8 meses é um palhaço completo e não duvida em ficar em pé no cadeirão e cantar e fazer poses, caras e bocas, para uma platéia de avó e tios que não conseguem fazer outra coisa a não ser rir convulsivamente, enquanto os pais se resignam a deixar o moleque fazer a alegria da platéia encorajadora. Somos terríveis, mas é tão bonitinho! Deixa a minha irmã educar tudo de novo depois, não tem problema. :D

E assim foi o dia das mães por aqui.

Ah, e aproveitei as promoções de fim de semana e comprei a minha passagem para o Tocantins! Ai ai agora é tentar manter o foco para o mês passar rápido e poder ir logo matar a saudade!


maio 07, 2013

Formiga atômica

Tirei as fotos, mas esqueci de trazer o cartão.
Outra hora faço isso.

Ando tão, mas tão irritada com tudo! É a mulher que passa fumando ao meu lado na rua, é o colega de trabalho que me interrompe o serviço, é o cliente que chega num momento pouco oportuno, é o chefe, é a pessoa que senta na minha frente no ônibus e faz qualquer coisa de irritante (e como ando me irritando por qualquer coisa, qualquer coisa é irritante), é o cara que passa na rua e olha meio diferente, é o que passa dirigindo no celular ou não dá seta ou esbarra em mim, é o caixa de supermercado super lento ou a busca truculenta por um alimento cuja composição não seja enganosa... enfim... tudo, TUDO, está me incomodando. Tudo.
E quando estou irritada, meu impulso é xingar. 
Eu sempre me dividi entre ser uma pessoa absolutamente mansa, daquelas que nada a afeta ou tira do sério ou sequer lhe importa, e ser uma pessoa absolutamente explosiva de pavio curtíssimo, capaz de acessos de raiva horríveis. 
Sempre foi assim. De um extremo a outro.
Tenho, sim, um pouco de medo de que isso se transforme em algo patológico, de desenvolver uma fobia social, de virar o Grinch. Ou o Hulk. rsrs.

maio 06, 2013

Pereirão

Ontem incorporei meu lado marceneira e montei a cama azul e linda!
Depois quase morri para pôr o estrado no lugar, porque era maior do que a cama.
Hahahaha.

Mas a Rita me ajudou, lixei um pouquinho as partes que sobravam, e utilizei de toda minha força bruta para encaixar o bendito estrado.

E deu certo!

Vou ver se tiro algumas fotos hoje à noite, da sala e do quarto para mostrar como ficou.

maio 02, 2013

Feriado muito produtivo!

Como é gostoso um feriadinho assim, na metade da semana, para respirar fundo. Por mim, podia ter um toda semana. Ou pelo menos a cada duas semanas!
Eu aproveitei bastante o meu. Ando meio quebrada (de dinheiro) mesmo, então achei por bem me desprender de toda ideia consumista ou de passeios/comer fora no feriado, e fiquei em casa.

Já na terça à noite adiantei toooodos os vídeos da semana da matéria de Genoma (um dos cursos que estou fazendo no Coursera). All done, menos um para se preocupar!
Ontem aproveitei que estava quente e nublado e terminei de pintar a cama. Está toda AZUL como o azul  do maaar (não mentira, mais escuro que o mar e tal... Enfim. Depois mostro). Agora tenho uma cama azul e bonita, só falta comprar os parafusos, porque extraviei os originais. Legal, só que não.
Aí então fiz almoço.
Aí então (já umas 3 da tarde, rsrs) sentei com a Rita para assistir "E o Vento Levou", que ela nunca tinha visto inteiro e eu... bom, eu nunca perco uma oportunidade de ver de novo! Enquanto isso, comecei a costurar, à mão, uma almofada para a sala. Antes do fim do filme (que dura umas 4 horas), almofada prontinha!
É, costurar a mão é uma lerdeza mesmo, mas ficou bom.
Além disso, parei para fazer pipoca na panela. Acabou queimando o fundo, mas ficou boa.
Aí depois do filme fui estudar os vídeos da matéria de Cérebro (o outro curso que estou fazendo no Coursera), enquanto fazia as unhas. Fiz a prova depois dos vídeos. Pronto. Todos os estudos adiantados até semana que vem! E unhas feitas!

(Porque eu sou louca e não gosto de ter limites, e meu limite sempre foi biologia porque sempre me custou aprender, então estou fazendo não uma mas duas matérias de biologia ao mesmo tempo).

Daí assisti alguns episódios de The Big Bang Theory. 

E pronto, aí acabou meu feriado produtivo. 
----------------
A sala da nossa casa está ficando bem charmosa. 
Não temos sofá, e na verdade até esses dias atrás só tínhamos: duas cadeiras da Rita (cadeiras normais, de mesa) e uma "poltrona" feita de várias camadas de cobertores meus, que quando meu pai veio me visitar achou que fosse uma cama de cachorro e pensou que tivéssemos adotado um (até que eu queria, mas ainda não). Mas não, é a nossa poltrona. Rsrs. 
Pois bem, esses dias a Rita comprou um tapete grandão, marrom, bem peludão. Daí ontem ela ganhou um pufe daqueles grandes, também marrom. Então agora temos: tapete, pufe (serve como 1 poltrona) e poltrona caseira de cobertores (até que arranjemos mais uns lugares, continuaremos com a nossa poltrona caseira, rsrsrs). Aí temos também um rack que a antiga roommate decidiu deixar para nós, e que é ótimo, abriga meus livros e enfeites e a TV e o DVD que são da Rita. 
Aí então, eu tinha dois jogos de tecidinhos, com 4 padronagens cada um, nas mesmas cores, combinando um com o outro. Um dos jogos é nas cores marrom e dois tons de azul claro, com toques de laranja clarinho aqui e ali. Combinei os quatro tecidinhos de dois em dois (já que os retalhos eram pequenos, para artesanato mesmo, e davam certinho para um dos lados da almofada) e foi essa a almofada que costurei ontem. Falta a outra agora, com os outros dois tecidos.
Precisava ter tirado foto disso tudo para ilustrar o post, mas enfim. Faço depois um post de fotos separado. 
Na outra parede deixamos ainda as duas cadeiras de mesa, até porque elas nem cabem mesmo em volta da mesa. No máximo cabe uma delas, a outra não tem jeito de caber, já que encostamos a mesa na parede para ter espaço. Entre as duas cadeiras, uma "mesinha" que nada mais é do que um caixote de madeira que achei na rua (êêêêê catadora), colocado de pé, com livros na parte de baixo e enfeites na parte de cima. Inclusive na parte de cima coloquei meu sapo de madeira que imita som de sapo mesmo, que por ser marrom cor da madeira agora combina com a decoração da sala.
Está me faltando idealizar alguns quadros ou fotos para as paredes, que ainda estão nuas. Numa delas, até pregos tem já. Preciso pensar em algo. 

Preciso de uma ideia para pôr meus cartões postais na parede. É assim: de cada lugar que visito, trago um ou mais cartões postais. Tenho uns... sei lá quantos já. Quero colocá-los na parede, lado a lado, revestindo a parede mesmo, mas não quero colá-los na parede porque senão quanto mudar vou ter que deixá-los. Então estou procurando uma maneira de poder fazer este painel, de maneira que possa retirá-los depois. 
Alguém tem uma sugestão?

abril 23, 2013

Alguns fatos aleatórios sobre mim

Porque, né, vamos falar de mim um pouquinho.
Rsrs.
Bora.

1- Tenho mania de dormir tarde. Muitos dos meus dias são mais ou menos assim: de manhã sobrevivo, de tarde me arrasto, de noite fico ligadona. Daí fico me resistindo a ir dormir, apesar de saber perfeitamente que vou sofrer para acordar na manhã seguinte. Simples assim.

2- Acho liiindo unhas bem feitas, mas em geral não tenho paciência para fazê-las e fico oscilando entre semanas em que estão impecáveis, e semanas que corto bem curtas para que não me incomodem e deixo sem esmalte, sem lixar, sem nada.

3- Adoro o aroma do café, mas não gosto do sabor.

4- Me entusiasmo muito rápido com algumas coisas, e perco o interesse igualmente rápido. Bem fogo de palha mesmo.

5- Por exemplo, estava com a alimentação e exercícios super certinhos até semana passada, daí ontem joguei tudo pro alto, comprei um pacote de wafer de limão e comi. Inteirinho. Numa tarde. Estava correndo 3 vezes por semana, cansei, descobri a zumba, fiz dois dias alternados e parei. E por aí vai.

6- Amo wafer de limão.

7- Não ligo para balas e chicletes. Gostava, mas meu paladar desacostumou de guloseimas de goma, açúcar e corante. Simplesmente não me atraem. Minha perdição mesmo é chocolate, brigadeiro, nutella (que não compro porque senão estou abrindo as comportas para a falência).

8- Meu quarto vive uma bagunça, detesto limpar a casa, mas sou doente por organização sequencial, objetinhos cada um no seu lugar, trabalho sistemático e metódico, planilhas. Detesto que baguncem minha "bagunça organizada".

9- Igualmente detesto quem quer que seja mexendo em minha mesa de trabalho.

10- Ou quem fica à vontade demais logo de cara. Acho abusivo. Gosto da minha concha.

11- Amo pessoas que oferecem abraços sem fazer perguntas demais.

12- Não consigo levar a sério as palavras "Amanhã Sem Falta". No momento, tenho na minha mesa de trabalho um papel que diz "Amanhã Sem Falta, fazer tal e tal coisa" e que me foi deixado ontem. Não consigo fazer o que o papel pede para eu fazer. Simplesmente não consigo.

13- Tenho uma forte tendência a arrumar desculpa para tudo que não faço / faço errado. E vivo bem com isso.

14- (Acho que todos já sabem disto) Leio 2 ou 3 livros ao mesmo tempo. De preferência, em línguas diferentes e sobre assuntos completamente diferentes.

15- Converso com Jesus como quem conversa com um amigo. Em voz alta mesmo. Ou mentalmente. Como for. Para que fingir de quem conhece tudo que faço e que penso mesmo?

16- Só uso perfumes frescos / colônias ou águas perfumadas. Enjoo dos perfumes adocicados.

17- Quando o tempo está frio minhas unhas ficam roxas.

18- Sou daquela parcela de população que por genética consegue enrolar a língua.

19- E treinei muito para conseguir levantar uma sobrancelha só. Só consigo a direita. É um gesto que sempre uso em situações de ironia e/ou sarcasmo. Pena que agora que cortei a franja este gesto esteja comprometido.

20- Em geral, não saio de casa sem passar lápis de olho. Sou louca por rímel também, mas tenho preguiça de retirar depois.

21- Tenho um bom senso de orientação nas ruas, e nenhum medo de andar por elas. Procuro o caminho na internet, me oriento e vou. Às vezes me perco, às vezes é mais longe do que parece no mapa, etc. Já passei por diversas aventuras e desventuras por causa disso, mas sou daquelas que enquanto meus pés me levarem, vou. (Porque em geral faço isso tudo a pé ou de ônibus).

22- Tenho mania de ler sublinhando tudo que acho importante, inserindo setas e comentários. Por isso dificilmente empresto livros de alguém. 

23- No mesmo ramo, também tenho certo ciúme dos meus livros. Não é de muito bom grado que os empresto.

24- Amo chá.

25- Amo roupas coloridas.

26- Amo noites de verão.

E chega né, já deu de fatos de cultura inútil sobre a Mari.
E aí, quem tem algo em comum comigo?

abril 15, 2013

Qualidade de vida

Faz pouco mais de um mês que tenho cuidado mais da minha alimentação e exercícios, fazendo escolhas conscientes, me policiando para:
1- Beber mais água
2- Acostumar a beber chá regularmente também
3- Escolher frutas em lugar de bolachas e pães, a fazer smoothies com frutas, sementes e aveia para o café da manhã (ou mais frutas mesmo)
4- Aplicar o princípio de que: "se cresceu numa planta é bom para você, se foi feito numa planta não é bom", cortando industrializados, olhando rótulos, fazendo trocas conscientes para eliminar produtos químicos, açúcar, corantes, espessantes, conservantes, glutamatos e afins...
Assim, cortei margarina/manteiga/doce de leite. Comecei a fazer peanut butter em casa, para passar no pão (integral). Ou então um creme de abacate amassadinho (quando estou com disposição, pois exige mais tempo, tem que ser fresquinho. O creme de amendoim faço e deixo na geladeira pronto e dura semanas). Cortei sucos de caixinha, que tomava esporadicamente, para zero. Compro mais vegetais frescos, faço uma boa salada em casa e deixo sem temperar, levo para o trabalho por 2, 3 dias seguidos. Assim evito os restaurantes da região, que tem poucas opções para vegetarianos. Dá mais trabalho, mas sei exatamente o que estou comendo.

Algumas dessas mudanças já utilizava, como os grãos/pão integrais ao invés dos brancos, a redução de açúcar... mas estou policiando melhor os deslizes. 

(Apesar de que tem dias que não resisto a um chocolatinho... de 100 g! E uma vez que abro, não consigo não comer ele inteiro. Mas compro os que tem castanhas, passas, o meio amargo com amêndoas... menos pior, apesar de não ser ideal).

Além disso, comecei a correr! Comecei com 2 minutos (parece pouco, mas no primeiro dia custou!) e hoje estou em 12 correndo - 1 e meio andando - mais 12 correndo. E aumentando! Corro duas ou três vezes por semana, e nos outros dias faço alongamentos ou ioga. Também faço grupos musculares, um dia abdominais, outro perna, outro braço. Depois começa de novo. E squats!

Sextas somente squats. Sábado descanso.

Não tenho emagrecido substancialmente, até porque a ideia não é em si emagrecer por déficit de calorias e sim ficar mais forte, comer alimentos de qualidade e cuidar bem do corpo para que ele mesmo funcione melhor, com o "combustível" certo. Eventualmente, com o exercício e a alimentação de qualidade, deve ocorrer a queima de gordura e o aumento de massa muscular, que queima mais calorias mesmo em repouso do que a gordura, ou seja que por sua vez ajuda a queimar mas gorduras... e por aí vai. 

Mas enfim, mesmo não tendo emagrecido substancialmente na balança, algo de centímetros de circunferência tenho perdido (apesar de ainda ser bem discreto). Mas o principal: comparando fotos posso ver como a minha pele tem melhorado e dificilmente aparece alguma espinha, sendo que antes de vez em quando rebentavam algumas várias ao mesmo tempo. Praticamente todos os dias acordo com braços, pernas ou abdominais doendo com aquela dorzinha de quem se exercitou no dia anterior, o que é uma sensação muito boa. Começo a ver os primeiros resultados no espelho, os abdominais ligeeeeiramente mais definidos (a gente também vê o que quer ver né? hahaha), enfim, pequenas motivações. E outras coisas também, por exemplo semana passada fui arrumar um depósito no meu trabalho, e movi as caixas com a maior facilidade. Fiquei tão feliz!
Quero ficar fortona, badass. Hahahaha. E quem sabe me inscrever para algumas corridas de 5k, para as color run da vida, essas coisas. O desafio é, para mim que sempre fui mais para sedentária, tornar essas mudanças consistentes e apreciar o percurso, não apenas o objetivo final. Até porque é um progresso contínuo, não um objetivo!

O mais legal são as pessoas que comentam. Falam que estou mais bonita, que mudei "alguma coisa", sem conseguir especificar o que é.
E aí eu vejo, qualidade de vida, mudanças de dentro para fora, isso é o que faz a maior diferença. 

abril 08, 2013

Egolando

Ontem só lavei meu cabelo e deixei secar um pouco no ar enquanto me arrumava. É claro que "me arrumar", na minha realidade e no meu conceito, significa "sentar DE ROUPÃO para fazer as unhas na última hora". Quando acabei, estava atrasadíssima, o cabelo a meio secar, nem tinha me vestido, as unhas secando. Botei uma roupa, não ficou legal, troquei (ai as unhas), passei um lápis no olho (sem lápis não vou nem à esquina porque me sinto nua), calcei meus sapatinhos que não precisam ser tocados para calçar, consegui que as unhas terminassem de secar com apenas um borrãozinho no polegar (sempre ele). Parei na frente do espelho. E o cabelo? Hummm... acho que vou puxar a franja inexistente de tão grande e fazer uma tiara de trança com ela.
Puxei aquela parte de "franja", que estava passando o queixo já, e então me veio o estalo. Peguei a tesoura, medi mais ou menos, e TAC. Olá, olhos! Cortei a franja, quase de uma tesourada só (mais algumas para emparelhar).
Peguei na mão uma pomadinha que tenho que gosto muito (é mais uma meleca que uma pomada e me custou aprender a dosar para não ficar com o cabelo duro, mas quando aprendi amei), dei uma amassadinha no cabelo que a essa altura já não sabia se estava seco ou úmido, mas pra lá do que pra cá.  E saí no ar, com um pouco de vento. Peguei ônibus, fui cantar com o coral (aliás, foi lindo!), voltei para casa depois de mais um pouco de vento nos cabelos empomadados (hein?).

E não é que, depois de chegar em casa eles resolveram assentar de uma maneira que gostei muito?
Rsrs

Daí não resisti, né? Porque vai que depois não consigo mais dar esse efeito, digamos, acidental? Peguei o ipod e fui tirar umas fotos no espelho do banheiro.



Oi, cachinhos!

Meu melhor ângulo
E depois deste momento "eu me amo", continuamos com a programação normal.

abril 07, 2013

Madrugada adentro

A pessoa louca em questão fica mais louca ainda tentando achar uma passagem com preço decente para o Tocantins, sem sucesso.
Ou com sucesso parcial, pelo menos. Ainda é meio caro, mas achei uma opçãozinha graças à dica de uma amiga. Mesmo assim, não vou poder confirmar até saber com meu chefe (ou a esposa dele, que apesar de ser mais linha dura é também mais acessível e paciente) se posso ter alguns dias de folga.
Hoje meu namoro fez 6 meses, e também coincidentemente faz dois meses desde que fisicamente estamos distantes um do outro. Ou seja, um terço de todo o tempo de namoro.
É diferente de tudo pelo qual já passei, mas também sinto que estou crescendo muito. Ao longo da vida tenho aprendido que muitas coisas pelas quais passamos parece que duram tempo demais, que não vão acabar nunca... mas depois passam, são só fases, e depois que passam ficam no passado e muitas outras acontecem, e depois que acabam ao invés de parecerem um oceano onde estamos tentando nadar, ficam para trás como uma chuva passageira.
É assim que vejo esta situação toda.
Não sei o que vem pela frente, mas logo isto se resolve. Tenho certeza.
Agora vou dormir, que são quase 3 da manhã e estive tricotando os primeiros testes para a cobertinha Tetris e assistindo já-nem-sei-quantos episódios das Desperates Housewives.
Boa noite.

abril 05, 2013

Postzinho de sexta

Precisava dar uma mudada no visual do blog, que está há quase dois anos desse jeito... já me enjoou esse fundo vermelho de bolinha e essas fotos e coisa e tal.
Mas cadê coragem e animação para fazer isso?
Alguém aí com tempo e paciência quer se voluntariar para ser meu personal layouteitor?
Não?

-----------------
Ontem estava eu navegando no Coursera, como já falei no post de ontem, e me matriculei em outros dois cursos: um sobre genoma a começar em abril, e outro sobre Egito antigo, a começar só em outubro!
Teve mais uns vinte cursos que queria me matricular, mas não quis me deixar levar pelo entusiasmo da coisa. Me recuso a ser mais um desses números que se matriculam e depois desistem. Já fiz isso com um vestibular (e não compareci porque tinha passado na outra faculdade, que era a que eu queria mesmo) e quando anunciaram no noticiário a taxa de abstenção me senti muito loser. 
Nem sei por que estou falando isso tudo, vocês sabem que eu escrevo o que vem na cabeça e não reviso ne?

-----------------
Sexta feira. Graças a Deus.

abril 04, 2013

Cabeça inquieta

Eu sou uma pessoa inquieta.
De cabeça inquieta, não tanto fisicamente. Apesar de que estou lutando contra essa tendência sedentária e até gostando da minha nova rotina de corrida/exercícios/ioga.
Mas enfim, sou uma pessoa de cabeça inquieta.
Faço projetos, não os completo, às vezes nem os começo e já perdi o entusiasmo por eles. Tenho muitas ideias. Algumas me entusiasmam extremamente, mas o entusiasmo só dura uns minutos dias e depois se esvai. Outras são duradouras, se transformam em peças, em arte, em aprendizado, em hábitos, em ideologias, em estilos de vida.
Mas o fato é que sou uma pessoa inquieta.
Gosto de estudar.
Gosto de ler.
Basicamente sou da opinião que conhecimento não ocupa espaço. Livros e viagens minhas fontes preferidas. Conhecer, saber, presenciar, estar, aprender. 

Assim então, entrei no Coursera e me matriculei num curso, que começou esta semana.
Esse site é ótimo, os cursos são ministrados por universidades conceituadas do mundo todo, em videoaulas, em inglês, duram algumas semanas, tem certificados... e são grátis.

Ah, e o que estou estudando? Neurociência para leigos.
Mais conhecido como Brains, neurons and synapses.
Matéria fácil, sabe como é, só para fazer um aquecimento. Risos.

Mas isso não é tudo. 

Sou uma assídua leitora da Bíblia. Leio todas as noites. Já a li mais de uma vez em português, alguns dos livros em inglês, e algumas partes em espanhol. Cada vez que leio um certo trecho, parece que aparece mais um detalhe que não tinha percebido. Ler em várias traduções ou versões tem esse efeito também, às vezes uma palavra que tinha um sentido foi traduzida por um sinônimo e o significado fica mais amplo, ou mais restrito. É fascinante.
Só que, não é o suficiente.
Eu quero ler a Bíblia no idioma original.
Então, procurei um curso de grego. Para poder ler o Novo Testamento no idioma original.
(Para o Antigo Testamento, vou ter que procurar cursos de hebraico e aramaico. Vai ficar mais pra frente).
Achei o curso. Aliás, uma apostila direcionada para habilitar o estudante a ler o Novo Testamento no original em grego.
Ou seja, bem o que eu queria.
Vou começar em breve.

É, cabeça inquieta. Eu avisei.

Enquanto isso, termino de costurar uma almofada que inventei para minha cama e começo a pensar na maneira de fazer a cobertinha Tetris (essa ideia me apareceu derivada de uma outra cobertinha de crochê que já fiz. Tive a ideia, desenhei, colori, comprei um pouco de lã para começar... só falta ter tempo!).

Os que ficaram meio largados foram os três livros que estou atualmente lendo: Atos dos Apóstolos (em português, e no meu planejamento ainda devo ler 4 capítulos dele até o final da semana), um outro sobre Montevideo dos anos 50 (em espanhol), e a Construção dos Valores Victorianos (em inglês). Este último não cheguei a passar da introdução, e acabei me engajando em outras leituras e atividades e ficou meio de lado, mas logo vou retomá-lo.

Mencionei a cabeça inquieta?

abril 03, 2013

Virando esportista

Ontem corri 10 minutos, caminhei 2 minutos, e corri mais 9 e meio. E depois voltei para casa.

Devo ter quebrado meu recorde.

Mais veloz, mais forte, com mais fôlego, e mais magra também. :D

Aos poucos, aos poucos.

Estou tomando gosto pela corrida e pela ideia de participar de corridas de verdade.

Fiz peanut butter em casa pela primeira vez. Tenho vergonha de dizer que só agora descobri como fazer, porque é TÃO, mas TÃO fácil de fazer! Fácil, rápido, barato e delicioso!
Eu AMO amendoim em todas suas formas, e a famosa manteiga de amendoim é uma das minhas formas preferidas. Mas se lá nos EUA é um artigo dos mais comuns e existe em praticamente todas as casas, aqui no Brasil é difícil de encontrar, e quando se encontra é cara e cheia de aditivos.

A versão caseira é basicamente:
2 xícaras de amendoim torrado sem pele,
colocar no liquidificados ou processador de alimentos, ligar e tampar os ouvidos até obter a consistência desejada.
Se ficar muito difícil de obter a textura, acrescentar um óleo vegetal neutro (basicamente qualquer um menos azeite) mas ó, MEIA COLHERZINHA DE CHÁ de cada vez.
Porque logo o amendoim começa a largar seus óleos próprios e a pasta se forma!

Ah e dá para fazer também com: amêndoas, castanhas, avelãs, nozes, e para quem é chique demais, macadâmias e pistaches (porque né, tem paladares mais refinados mesmo).

Como eu sou pobre mesmo e meu paladar não é muito exigente quando se trata de coisas finas e chiques, faço a festa com o amendoim mesmo! (apesar de que não rejeitaria de jeito nenhum uma delicada manteiga de macadâmias. Sabe como é, né?)

Amo muito nozes, castanhas & cia! Nhom.