dezembro 31, 2012

Último post do ano, balanço, lista e demais

Oi povo.
Conforme prometido, vim dar as caras antes da meianoite chegar e virar abóbora.
São duas da tarde e eu ainda não almocei, nem tomei banho, nem comecei a cozinhar para esta noite. Mas tudo bem.
Estive lixando parte da cama, ou seja que foi produtivo.
E acordei tarde para poder ficar acordada até mais tarde esta noite, também. Rsrs.

Do ano que passou:
Já falei muito das mudanças diversas pelas quais passei. Mudança de cidade, morar sozinha, vários empregos, mudar de casa de novo, recentemente mudar de roommate, começo de namoro. Ufa! Acho que só.
Meu desejo é por um ano com um pouco de estabilidade e crescimento. Não estagnação, mas crescimento! Raízes fortes, objetivos claros, aprendizado, mas menos... volatilidade, por assim dizer.
2012 foi um ano de alta volatilidade. Que 2013 seja um ano de força, crescimento e estabilidade. 

Continuo gorda. Emagreci e voltei a engordar. Me vi nas fotos do natal e quis morrer. Entrei em desespero e chorei o leite derramado e os chocolates ingeridos. Mas... assim é a vida.

Por isso a minha lista de objetivos, que aqui segue, começa com:
* Perder os 8kg que faltam (ou sobram, a melhor dizer)

* Deixar o cabelo crescer

* No fim de 2013, ter um plano definido em relação a estudos (isso se não tiver começado a estudar já): Seja ter feito um novo vestibular, ter me matriculado para uma pós/especialização, enfim, mas um plano de estudos definido para começar em 2014. Tenho algumas ideias a respeito, só preciso achar o ponto de foco. Porque vocês já devem ter percebido, foco não é o meu forte.

* Ler um mínimo de 14 livros: 1 por mês, e mais 2 de bônus (1 por semestre):
1)
2)
3)
4)
5)
6)
7)
8)
9)
10)
11)
12)
13)
14)

* Fazer um mínimo de 5 projetos extras (seja reforma de móveis, crochê, pintar ou desenhar quadros, costurar peças, etc. Mas tem que ser projetos prontos, terminados e em utilização, com certo grau de dificuldade):
1)
2)
3)
4)
5)

* Avançar no projeto Bélgica. No que consiste? Bom, eu provenho (entre outras origens) de uma família (Spilborghs) que veio da Bélgica. Estes últimos meses tem me surgido o desejo de investigar as raízes desta família, os antepassados, a árvore genealógica, etc. Encontrei vários dados interessantes! Meu desejo é me aprofundar neste estudo, quem sabe até poder (mas este não é um objetivo para o ano, quem sabe mais pra frente) visitar o país e principalmente a região de onde a família veio. A motivação é de que, apesar de ser um quebra-cabeça, sei que somente veio uma família com esse nome para o Brasil, portanto existe só uma raiz. Tenho outras origens, claro, mas por ser de sobrenomes mais "comuns" é bem mais difícil de rastrear e bem mais fácil de cair em pistas falsas. Por isso me empolguei na procura dos meus antepassados Spilborghs.

* Guardar uma certa quantia em dinheiro, um valor pé-no-chão de acordo com meus rendimentos atuais. O objetivo não é muito alto, mas para quem aprendeu este ano a morar sozinha e equilibrar as contas, vai ser uma realização importante.

* Por último, e este objetivo me ocorreu agora que estava escrevendo o post e já o acrescentei à minha lista, fazer pelo menos 3 viagens para lugares diferentes este ano. Se forem lugares que não conheço, melhor ainda, mas vale lugares que já conheço e que não costumo ir via de regra. O que exclui Floripa.
1)
2)
3)

Vou manter a lista sempre por perto para ir riscando e preenchendo os objetivos que vão ser cumpridos ao longo do ano. Voltarei para contar sempre que puder dar por cumprido um objetivo, e farei dois balanços: o tradicional de fim de ano, e um no meu aniversário, que é quase na metade do ano (16 junho).

Mas acima de tudo, meu desejo é poder estar sempre nos caminhos de Deus. Porque eu conheço este pedacinho, o que vejo na minha frente, o que posso planejar em base ao que conheço, em base ao que vivi, e o que posso esperar em base ao padrão já conhecido. Mas eu não conheço tudo. Deus sim. Ele sabe não só o que eu sou, o que eu tenho, pelo que passei, mas também a realidade de cada um. Como e onde os caminhos das pessoas vão se entrelaçar com os meus, como e onde as circunstâncias me esperam. Como posso reagir a elas (mesmo que essa seja a minha parte, mas Deus conhece todas as formas que eu posso reagir). Tudo que for possível ser conhecido, Deus conhece. Por isso Ele sabe o que é melhor para mim. E por isso eu quero seguir os caminhos que Ele me indicar, por onde Ele me guiar, ter a humildade de aceitar que por mais estranho que pareça, algo pode ser ou não ser para mim, naquele momento. Ou nunca.
Deus sabe de todas as coisas. E é um pai amoroso para nos dar aquilo que nos fará crescer e que nos fará felizes.
E é isso também que desejo para todos: que encontrem seus caminhos, que tracem seus objetivos e façam o possível por cumpri-los, mas que acima de tudo confiem em Deus.

Porque, aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á.
E qual de entre vós é o homem que, pedindo-lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra?
E, pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente?
Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem? 
Mateus 7:8-11

dezembro 30, 2012

Domingão

Em casa, quietinha, sozinha mesmo. Saí só para ir no mercadinho japonês aqui perto (eu chamo de mercadinho japonês porque lá tem produtos japoneses também, mas tem tanta, tanta coisa! A maior variedade de produtos a granel que já tenha visto, por exemplo. E frutas e verdinhos fresquinhos e proclamadamente sem agrotóxicos. Não é à toa que vive cheio de gente). Comprei coisinhas para cozinhar minha ceia de ano novo, que constará basicamente de: couscous com pêras e passas, stir-fry de tofu, cenoura, brotos de feijão e castanhas de caju, e uma saladinha verde simples. Tudo fresquinho, tudo do meu gosto. A sobremesa, uma bem preguiçosa que já está prontinha no congelador "em maturação": camadas de biscoito champagne, sorvete de chocolate e morangos, com bis picadinho por cima. 
O resto do meu domingo estava planejado para ser bastante produtivo, mas com o que eu não contava era com ser acometida por uma dessas cólicas cruéis que rasgam a gente por dentro. Me rendi ao comprimido, mas o bendito demorou mais de 1 hora para fazer efeito. Horrível, não conseguia ficar sentada ou em pé pela dor na cintura e costas, nem deitar e ficar confortável, nem andar, nem nada. Nada! Fiz um ninho de travesseiros no chão da sala, sentei e fiquei quietinha. A dor foi passando e até dormi um pouquinho. Aí depois acordei e fui para a cama dormir um pouco mais. Acordei bem melhor, mas já tinha passado a tarde toda!
Aí levantei e fui lavar roupa, que era uma das minhas tarefas prioritárias, e agora vou ver se termino de traduzir as letras de umas músicas do coral, que me foram encomendadas para nossa viagem para o Uruguai no período do carnaval.
Faltou continuar a lixar e pintar a cama, que continua desmontada. Faltou guardar a roupa de inverno (ainda, Mariana? Vai chegar o inverno de novo e ainda não fez!) e assim organizar um pouco meu quarto. Faltou fazer a lista tradicional de objetivos para o Ano Novo, coisa que posso fazer amanhã, mas talvez não tenha tempo. E me nego a entrar no novo ano sem fazer a lista. E como disse no post anterior, este ano vai!
Mas também, nem sei que horas vou dormir. Tirando a parte de lixar, talvez ainda dê para fazer todo o resto. 
E ainda volto com o último post do ano!

dezembro 28, 2012

Constatações

Na verdade, eu não entendo a necessidade das pessoas de resolver o problema dos outros.
Ou melhor, de assumir que o outro tem um problema e querer resolvê-lo.
Postei ontem no face que iria passar a virada do ano sozinha, mas que iria cozinhar para mim mesma e comer bem, nada de comida congelada ou sanduíche de qualquer coisa. 
Apareceram várias pessoas (mentira, foram poucas mas mesmo assim, incomum) dizendo para eu não passar sozinha (sem por isso me convidar, haha), dizendo para eu ir em tal lugar, fazer tal e tal coisa, sugerindo companhia de terceiros (hein?), entre outros etc. 
Não sei se me expressei mal, ou se as pessoas entendem mesmo o que querem. Para muitas pessoas pode ser triste ou solitário passar a virada do ano sozinha, mas eu pertenço àquela irritante categoria de pessoinhas que faz dos limões uma limonada. É óbvio que, podendo, gostaria de passar com a minha família e com o meu namorado e beijar à meianoite na praia fresquinha! Mas sendo que nem uma coisa nem a outra são possíveis, olha minha cara de depressão. Nonono eu não nasci para ficar triste no canto cantando all by myself e vendo a chuva cair. 
Estou muito satisfeita, já que não pode ser com a família e meu namorado, por que vou passar com pessoas que não são tão próximas, talvez tendo que fingir estar me divertindo horrores, fazendo sala ou ouvindo papos que não estou com vontade de ouvir? Só para não passar sozinha-triste-e-desamparada-ninguém-me-ama-ninguém-me-quer como muitas pessoas acham (erroneamente) que é. 
Eu vejo como uma oportunidade de passar quietinha em casa, conversando pela internet com meus amados, vendo os fogos na tv sem a muvuca e pessoas bêbadas e maleducadas (de-tes-to muvuca, a não ser na praia. Passar a virada em Copacabana, aí sim a muvuca valeria a pena), saboreando uma comida deliciosa que terei feito de mim para mim mesma sem pressa, sem precisar prestar contas, uma sobremesa maravilhosa e uma taça de espumante sem álcool porque eu não bebo álcool. Depois ficar vendo um bom filme e esperar a virada em NY pela webcam, no friozão. Pensar nas realizações do ano que passou e nas esperanças que tenho no futuro, orar, cantar e fazer meus agradecimentos, meus pedidos e votos. 
Fala aí, parece coisa de quem está triste, depressiva, ouvindo Celine Dion se esgoelar? Não ne?
----------------
Ah, por que que eu, avessa a me expor do jeito que sou, postei aquilo no face? Por aquele velho "seguro morreu de velho", vai que alguém surgia com um plano REALMENTE empolgante para fazer e eu perderia e ficaria sabendo nos dias seguintes quando alguém dissesse algo como: "poxa vida, não sabia que você estava em Curitiba, fizemos tal e tal coisa!" Mas não era um lamento, de jeito nenhum!

Agora bora lá que hoje é o último dia de trabalho do ano e precisa render! E pensar no cardápio com o qual vou me deliciar na noite da virada! Humm...

Imagem: Google

dezembro 27, 2012

Natal

Foi bem legal.
Fugi para as colinas para Floripa para passar deliciosos 4 dias com meus amadinhos, o que incluiu calor, banhos de mangueira, partidas de Uno (nas quais levei da Fernanda uma lavada descomunal de 6 a 0), noite de Natal, presentes, ceia, fotos, caretas, alegria de crianças, muuuita troca de mensagens com meu amado que ficou primeiro em Curitiba e depois partiu lá para as terras longínquas do Tocantins, sobremesas, filme e pizza com amigas, enfim! 4 ótimos dias.

Mas que acabaram.

Voltei à rotina.

Eu e meu sistema nervoso seriamente comprometido, mas ainda não posso contar o que foi. De qualquer maneira, quase certo que não haverá mudanças significativas (ouvi um amém?). Mas... quando for certeza conto o que houve.

Comecei as metas de ano novo na semana anterior ao ano novo. Isso é que é eficiência! 
É claro que elas incluem entre outras coisas: economizar e emagrecer. Dois dos grandes desafios da humanidade.
Preciso estabelecer uma lista de objetivos, mas não escondê-la no fundo de uma agenda. Tem que estar visível o tempo todo, que é para me motivar e lembrar.
Este ano conheci um amigo que lá por outubro disse assim: pronto! acabei todos os itens da minha lista de ano novo. Acho que preciso uma lista mais ambiciosa para ano que vem.
Co-mo-as-sim cumpriu TODOS os itens da lista de ano novo???
Nunca tinha conhecido alguém que de fato tivesse cumprido a bendita lista!
Este meu amigo é prova de que é possível!
Então, este ano vou fazer também. Talvez não para outubro, mas em dezembro de 2013 serei capaz de dizer com sensação de dever cumprido: terminei a lista do ano novo!

Em tempo: Minha nova coleguinha já está devidamente instalada na que agora é nossa casa, e acontece que ela é muito mais fã de limpeza e organização do que a minha antiga coleguinha. Tem como não amar?

dezembro 20, 2012

Preparativos

Semana diferente esta.
Casa vazia, sem móveis quase, sem geladeira, sem fogão, sem microondas... até minha nova roommate chegar, o que era para ser um dia desta semana mas não foi ainda (talvez seja hoje). Por enquanto, aprendendo o real significado não só de "alimentos não perecíveis" como também de "alimentos que não exijam preparação". 
Ou seja, frutas, cereal, pão, saladas, toddy de caixinha pequena e polenguinho. 
Pelo menos tenho a sanduicheira (emprestada) que dá para torrar um pão de vez em quando.
Ontem tive que jogar fora, com dor no coração, coisas que tinha comprado e que a roommate que saiu deixou dentro de um isopor. Otimista que sou, deixei até ontem pensando que logo chegaria a nova roommate e quem sabe poderia utilizar algumas das coisas, mas tive que me render depois destes 4 dias. Melhor do que pegar uma virose por causa de mãodevaquice
Mas joguei fora xingando a mina. Porque né, depois de semanas enrolando me arruma de hoje para hoje que vai sair de casa e não me da nem tempo para providenciar algo (ou consumir o que tinha), nem da nova roommie arrumar a mudança e vir logo. Louca.
Pior que a bitch deixou carne no maldito isopor. Por pura preguiça de levar embora. Hello-ow, faz 4 anos que não como carne e a mina me deixa aquela porcaria apodrecendo junto com meus preciosos mantimentos? Meu sangue subiu nos zóio. Xinguei muito. Peguei um saco grande de lixo e joguei tudo fora. Ódio.
Mas a parte boa é me ver livre daquela porquinha. Porque meeeeu caneco nunca vi alguém ser porca assim! Era um tal de tirar esmalte e deixar algodão com acetona usado no braço do sofá por 1 semana (fiz o teste uma vez), comer um sanduiche e deixar por 3 dias os restos do pão com presunto e o prato sujo em cima da mesa (ecaaa), roupa pendurada no varal por 1 semana se eu não tirasse para poder estender a minha, etc. Ela era tranquila de lidar, mas extremamente porca e desorganizada! 
E olha que eu estou longe de ser organizada, mas cruzes, respeito pela pessoa que mora com você ne!
Graças a Deus acabou.
------------------------
Amanhã Floripa baby! Dor no coração de deixar meu amor aqui em Ctba o fim de semana todo, mas segunda ele estará embarcando para a terra dele para passar uns 20 dias. Snifff. E eu vou ter que voltar no feriado para trabalhar na quarta, então tenho mesmo que ir mais cedo se quiser passar uns dias com os meus. Mas vai ser triste!
Nem acredito que é Natal. Não sinto como que é o fim do ano, para mim ainda parece outubro, sei lá.
Ano muito estranho este. Muitas mudanças, muitas oscilações, muitas responsabilidades novas, muita instabilidade. Muitos amigos novos também, e o meu amor que compensa isso tudo. Bom e ruim, ruim e bom.
------------------------
Ontem, além de limpar os mantimentos, lavar roupa (na mão e no muque) e fazer um jantar honesto com os poucos recursos que por enquanto tenho, peguei um novelo e comecei um crochê. É um novelo que trouxe dos EUA, azul e lindo, e pensei em fazer uma daquelas saias para árvore de natal, de crochê. E azul, porque o tema da minha árvore é azul e prata. Comecei, fiz duas ou três carreiras, parei para jantar e então decidi mudar de rumo: O novelo era tão lindo, e de uma cor tão azul como a minha cama (que ainda estou lixando e pintando, de um azul muito azul). Decidi desmanchar e fazer uma almofada para a cama. Vai combinar e ficar lindo! Quer dizer, se um dia eu acabar a bendita cama né... tá difícil. 
Tive umas ideias para o criado mudo também. Criado mudo este que não tenho, mas que pensei em procurar numa loja de usados. Não curto esses móveis modernos, daquela mistura de pó de madeira com cola mais conhecida como mdf. Eu gosto é de madeira de verdade, de lixar, pintar e reciclar. E de cestos! Mamãe, sei que você está lendo, tenha orgulhinho de mim! Depois te falo minhas ideias para que você me ajude a concretizar!
Preciso comprar potes de vidro também. Para meus secos. Arrozes, feijões, grãos diversos, farinhas, bolachas... quero tudo em frascos de vidro, nada em saquinhos feios amarrados com grampo de roupa! Mas isso se verá aos poucos.

dezembro 17, 2012

Correria

Tudo acumulou neste fim de ano!

* Ir para Floripa para o Natal. E somente o Natal, já que trabalho no dia 26 de volta. Aliás, trabalho no dia 24 também, a principio. Procrastinadora de carteirinha que sou, ainda não negociei a carta de alforria para o dia 24. Sendo que a ideia é viajar agora na sexta feira já.

* Logicamente (tô dizendo que tenho carteira de sócia-fundadora no clube dos procrastinadores) não arrumei a mala ainda, o que estou dizendo, se ainda nem a passagem comprei. Diz a lenda que ainda vou ter disponível passagem para o dia e horário que quero. Aham Claudia.

* Roommate estava num "mudo, mas não sei quando". Pedi a ela uma posição para poder pelo menos falar para minha amiga que está entrando saber quando poderá programar sua própria mudança, sendo que precisa ser antes do dia 20. Me liga no sábado dizendo: consegui o transporte, estou saindo HOJE. Pensa numa pessoa aflita. Mas pelo menos metade da mudança (a metade em que a pessoa que está saindo sai) foi concluída com sucesso, e a outra metade (a metade em que a pessoa que está entrando entra) supostamente  será hoje, aliás, não sei por que ainda não foi!

* Encerramento do coral, foi mara. Exatamente enquanto a mudança estava sendo feita lá em casa, mas perae, a pessoa me avisa em cima da hora, não vou desfazer meus planos mesmo que tenha me oferecido para ajudar (e devesse mesmo estar lá, já que tinha coisas minhas no meio). Por isso a aflição toda, mas não tenho culpa se a criatura me programa a mudança de hoje para hoje. Como dizia, o encerramento foi demais! Tivemos ação social, levamos brinquedos e cestas de mantimentos para famílias carentes e crianças que tinham escrito cartinhas para o papai noel. Ver os olhinhos delas se iluminando quando o nosso papai noel chegou de caminhão trazendo as coisas me emocionou tanto! Até agora, escrevendo, sinto o nó na garganta. 
Aí depois voltamos para a igreja, trocamos impressões e nos esperavam mais surpresas. Primeiro, uma gincana entre grupos. Foram espalhadas pelo bairro pistas, e nós saímos correndo para procurá-las. Literalmente correndo! Agora pensa, você está tranquilo andando pelo shopping (lotaaado no sábado à tarde, dito seja de passagem) e de repente vê grupos de gente vestidos com camisetas idênticas passando correndo pra lá e pra cá... foi uma correria com direito a momentos muito divertidos, como meu namorado e eu (que tomamos a dianteira da equipe quando descobrimos a pista no estacionamento do shopping) tentando cortar à frente do nosso amigo, que acabou saindo da escada para o lado errado e perdeu minutos preciosos tentando achar a saída do shopping. Sorte que meu namorado conhece aquele shopping como a palma da mão e sabia exatamente para onde estava indo. E o moleque corre rápido e é cara de pau! Quando a pista foi um certo verso bíblico entrou esbaforido numa outra igreja do bairro que estava ensaiando para um culto mais tarde e pediu uma Bíblia para consultar. 
Infelizmente, depois de ter achado que ganhamos, nos esperava a surpresa de que outro grupo já tinha chego. Resultado meio duvidoso, mas enfim... saímos segundos! Pena, perdemos o prêmio de 1 hora de paintball para o grupo vencedor, mas pior ainda foi ter que ouvir a chacotinha dos vencedores. Hunf. 
Tudo brincadeira. 
Aí depois da correria tinha uma festinha preparada para nós, com balões das cores do coral (amarelo, laranja, vermelho e preto), fotos, vídeos, salgadinhos e picolé. E muitas histórias! 

E assim vai... mais coisas para resolver aqui e ali, mais uma oportunidade que me surge agora bem na semana da correria do Natal (mas que não posso falar por enquanto), mais questões de orçamento que preciso encaixar (sempre ele, o bendito orçamento!), traduções de músicas que estou fazendo para o coral, e nisso tudo minha pobre cabeça não pára!

Férias, posso? 

dezembro 10, 2012

Passando

Oi gents.

Algumas coisas estão mais fáceis, outras nem tanto.

Ruim quando pessoas ao nosso redor não estão bem, e a gente tenta estar aí, apoiar, abraçar, ajudar, fazer alguma coisa, nem que seja a simples presença. Os tempos ficam turbulentos, a cabeça dói, o corpo se ressente... é claro que isso tudo fortalece a gente, mas é doído.

Tem horas que não dá vontade de vir trabalhar, nem de ficar em casa, nem de sair, nem de nada. E tem horas que ao mesmo tempo dá vontade de começar aquele projeto que está dando voltas na cabeça há tanto tempo mas nunca começo. E aquele outro. Ou aquele. Enfim.

Eu peço a Deus, que acima de tudo me conserve a sanidade e guie meus passos.

Eu odeio violência e fico assustada com ela. Não assisto noticiários porque as histórias de um assassinato atrás de outro me fazem mal, me perturbam. Não assisto novelas porque não suporto o baixo nível, as traições, vinganças, cinismo. Vejo meus seriados (poucos) e algum filme. Ultimamente, quanto menos aproximado da realidade melhor. Tenho preferido histórias de super heróis e outras surrealidades.
Tenho preferido me apegar a uma realidade mais bonita e com menos problemas cotidianos, menos raiva, menos ódio. Mais música, especialmente clássica, que me acalma e ajuda a elevar o espírito. Mais para meu bem estar.

novembro 30, 2012

Oi gents

Passei para dizer que continuo chatinha. E ainda triste e abalada ainda pela Julie, a cachorrinha da casa da minha mãe, que nos deixou ontem depois de quase 7 anos de muitas travessuras.
Mas rio sozinha quando me lembro, dá última vez que estive lá, há 2 semanas para o aniversário da Fernanda, meu pai fez churrasco e daí estávamos jantando dentro de casa, então ele foi lá fora buscar mais um pouco que estava no fogo e de repente escutamos uns xingões em bom espanhol e todos soubemos: mesmo meio caidinha, a Julie tinha roubado alguma carne que meu pai deixou meio perto. De novo.
Danadinha.

Ontem fiquei triste e chorei bastante porque foi um choque ela partir assim tão rápido. Bom, foi melhor assim também... soube de casos de o cachorrinho ficar meses agonizando, definhando aos pouquinhos com muita dor... a Julie se foi tão rapidinho, estava com dor sim, mas sempre do seu jeitinho "morro mas não quero incomodar ninguém". Pretinha fofa.
Descansou.
Aí depois já tinha passado um pouco a emoção toda, assisti um filme na tv (para me despedir mesmo da tv a cabo, já que vai acabar a vida boa agora que minha roommie está se mudando e eu não tenho tv. Vou sentir falta de the big bang theory e dos reprises de Grey's às segundas e domingos. Estava assistindo cada episódio de Greys até 3 vezes por conta disso!). Esquentei um quinoa com pimentão assado que tinha na geladeira e comi tranquilinha, tomei um banho me sentindo cansada, muito cansada e com um peso enorme pela tristeza do dia. Deitei. E então vi no iPod que meu irmão tinha re-publicado um vídeo muito engraçado que fez com a Julie correndo no pátio, ano passado. Fui assistir -para quê?- comecei a chorar e soluçar descontroladamente, meu nariz trancou, não conseguia dormir de jeito nenhum, apesar de querer muito dormir e que o sono se encarregasse de me anestesiar.
Sentei de novo e fiquei jogando um joguinho bobo no iPod até parar de pensar na Julie e meu nariz destrancar e conseguir respirar deitada. Aí sim consegui dormir.

Está difícil de achar uma árvore de Natal. Eu curto umas coisas diferentes, mas quando se trata da árvore não sei, prefiro mesmo o modelinho de pinheirinho tradicional.
Mas como é algo que não vou comprar a cada ano, queria comprar um bonitinho que durasse várias temporadas. Ou seja, da minha altura ou até um pouco mais alto, e que não fosse muito magrelinho, preferindo um mais "carnudinho". Mas quem disse que encontro? Pelo menos não a um preço mais ou menos viável.
Até agora estou procurando e estou vendo que vai ter que ser um magrinho mesmo, porque além da falta de oferta, os preços não estão amigáveis. Nem um pouco!
Os enfeites até pensei em comprar alguns, pelo menos para não ficar tão "pelado" logo no início. Depois vou ir fazendo eu mesma umas coisinhas personalizadas, misturando técnicas, inusitando...
Por exemplo, quero fazer sachezinhos "fantasiados" de sacos ou de almofadinhas, com essência de pinheiro, para dar um ar de pinheirinho natural.
E quem sabe umas coisinhas bordadas em ponto cruz.
Ah queria tanto uma caixa de bastõezinhos de bala de peppermint (aqueles listradinhos de vermelho e branco) como colocam nos pinheirinhos americanos e que devem estar vendendo em toda loja por lá por $1!
Ai ai...

Hum... estou pensando numa ideia muito legal... Talvez eu comece lá em casa (da minha mãe) a tradição das meias de Natal que os americanos tem também... cada um tem a sua meia (pregada na lareira, mas isso podemos adaptar) e na manhã de Natal aparece recheada de pequenos presentinhos, coisinhas pequenas como docinhos, brinquedinhos ou outras coisinhas assim que caibam dentro.
Acho que vou fazer isso mesmo!

Ai, preciso escrever os cartões de Natal e enviar pelo menos os que vão mais longe.

Quero fazer pelo menos um ou dois tipos de biscoitos natalinos para entregar para amigos e colegas de trabalho.

Tem também a campanha de Natal do coral para fazer. Vai ser em grupos, mas mesmo assim é para daqui a duas semanas e envolve bastante logística.

E amanhã o coral da igreja que eu participava em Florianópolis está vindo visitar a minha igreja atual aqui em Curitiba.

Muitas coisas para pensar nas próximas semanas!

novembro 22, 2012

Ação de Graças

Estou meio introspectiva.
Ia postar sobre o Thanksgiving e como queria estar fazendo uma celebração, igual ao ano passado, e de como sinto falta de algumas coisas, mas estou sem vontade de pôr isso tudo em palavras.
Estou meio sem vontade de escrever hoje.
Só organizando meus pensamentos.
Fazendo back up de alguns, deletando outros, e por aí vai. E escrevendo para mim mesma.
Days like these.
Volto logo.

Por enquanto, feliz Dia de Ação de Graças para todos, lembrem-se de agradecer a Papai do Céu pelas maravilhas que realiza dia após dia nas vidas de cada um.
Bjos.

novembro 20, 2012

11 coisas que me fazem feliz

Recebi da Luanda este lindo selinho para contar 11 coisas que me fazem feliz.



Engraçado que comecei a ler a postagem dela, e fui ficando feliz ao ver as coisas que a ela fazem feliz... pensei puxa, que efeito legal sobre a vida das pessoas, ler coisas felizes deixa a gente feliz! 
Então fiquei feliz (ha!) quando ela me indicou para postar meus 11 motivos para ficar feliz!
Rsrsrs

Então vamos lá (sem ordem definida):

1- Receber uma mensagem de uma pessoa querida.
Sério, quem não gosta? Não só do amor, mas de alguém da família, um amigo que faz tempo que não falamos, aquele convite inesperado ou boas notícias. Receber uma mensagem de alguém que eu gosto me deixa muito feliz!

2- Patinar!

Ventinho no rosto, velocidade, exercício, abrir os braços, zigzaguear... patinar é tudo de bom!

3- Combo dia de folga + chuvinha + edredom + filme + pipoca.
(Não consegui encontrar nenhuma imagem que representasse este momento glorioso, acho que deve ser uma regra que é uma situação preguiçosa demais até para tirar uma foto. Mas deu para pegar o conceito, não deu?)

4- Fotografar!
(Não reparar minha cara de sofrimento nem o celular. Eu estava tentando tirar uma foto de espelho e falar no celular ao mesmo tempo).

Se tem algo que amo é transmitir uma mensagem, compor uma poesia, provocar risadas ou lágrimas, captar aquele momento único de emoção, tudo através de uma imagem. Fotografar para mim é ir muito além da foto posada (também tiro as posadas, mas prefiro esse outro tipo de fotografia, mais espontânea, aquela em que saio com a câmera pelo prazer de fotografar e procuro um motivo para uma foto bem feita).

5- Viajar!
Sobrevoando algum lugar do oeste americano
Eis algo que me dá uma emoção imensa. Viajar! Desde o comprar da passagem, toda a chatice de aeroporto, decolagem, sobrevoar lugares, descer num lugar que nunca estive e procurar um jeito de me virar, conhecer o lugar, explorar, tirar fotos lá, rsrs. Sou daquelas que desfruta cada minuto de uma viagem!

6- Meus amados!

É raro, mas nóis se ajunta.
Sou muito grata pela família que tenho!

7- Fazer compras!
Sou daquelas que fica feliz até de ir ao mercado comprar pão, aliás, adoro passear em mercado! Mercado, feira, feirinha de artesanato, loja, shopping, loja virtual, compra por catálogo... meu barato é comprar algo, mas ao mesmo tempo sou meio muquiraninha mesmo. Isso é bom porque ajuda a compensar o prazer de comprar. Mas que me deixa feliz sair de uma loja com um pacotinho novo, ahhh com certeza!

8- Joguinhos!
Me deixa feliz jogar joguinhos prontofalei.

9- Cozinhar (o que eu quero, e quando EU quero)
Muffins de morango que fiz há muito tempo atrás na minha host-casa.
Há que esclarecer, amo cozinhar e testar receitas, mas somente quando estou com vontade. Não aquela coisa: o que vou fazer para o jantar?

10- Cortar o cabelo
Cortar, mudar de cor, alisar, enrolar (se bem que para estes últimos não tenho muita paciência, é muita mão de obra para durar só até lavar de novo). Meu barato mesmo é o corte! Mudar de visual, radicalizar. Hoje em dia muitas vezes corto eu mesma em casa.

11- A sensação maravilhosa de poder ajoelhar e agradecer a Deus pelas graças que recebo a cada dia.

Reconhecer o quanto Deus me ama e se preocupa com o meu bem estar, fazer um pedido e vê-lo atendido (meu último dos mais tangíveis foi a saga da volta para casa neste feriado, contarei no próximo post), o fato de poder agradecer por cada amanhecer, por cada acordar, por cada noite de sono tranquilo, por cada dia em segurança e saúde, por cada um dos meus amigos e familiares, pelas surpresas que Deus põe no caminho... também há as situações tristes, desagradáveis ou assustadoras, mas é uma felicidade e um bem-estar aprender que, mesmo sofrendo, Deus está ao nosso lado e muitas coisas acontecem ou são assim às vezes por consequência dos nossos próprios atos, às vezes porque precisava ser dessa maneira para que pudéssemos aprender algo. Às vezes para que o milagre de Deus possa acontecer. Sentir a presença de Deus me abraçando, estando ali o tempo todo, sempre que preciso, sempre que quero conversar, é profundamente tranquilizador e me deixa muito feliz!

Agora é para indicar 11 pessoas para fazer a brincadeira, mas eu sempre pulo esta parte. Primeiro: porque nem sempre as pessoas que indico gostam ou estão com vontade de jogar. Rs. Segundo: corro o risco de deixar pessoas de fora, mesmo dizendo que é para todo o que se sentir a vontade fazer! Terceiro (e principal): confesso que tenho a maior preguiça de copiar links. Rsrs.
Então, todo aquele que passar aqui sinta-se convidado para se apropriar do selinho e fazer no seu blog a lista das 11 coisas que o deixa feliz. Vamos lá pessoal, quero ver as listinhas de todo mundo!

novembro 16, 2012

Feriadim

O gatinho e eu aproveitamos o feriado (Viva a República!) e fomos no parque. Foi minha estréia de rollers em Curitiba e a estréia dele de rollers na vida inteira. Rsrs. Mas mandou bem para ser a primeira vez.
Como tem gente andando de rollers no parque Barigui! A pista é ótima, rodeia o parque todo, então as pessoas aproveitaram o feriado. Mesmo assim, nunca tinha visto tantas pessoas patinando num lugar só!

Vimos também capivaras lá. Soltas. Tão acostumadas às pessoas, ficam tranquilinhas no canto delas e ninguém incomoda. 
Reza a lenda que tem um jacaré (pequeno) nesse parque também. 
Não sei por que, mas não estou conseguindo subir fotos para o blog. Erro interno e sei lá mais o quê. Alguém com o mesmo problema hoje? 
---------------------------
Estou indo para Floripa hoje à noite. Fim de semana corrido, queria ter podido pegar o feriado e ficar os 4 dias por lá, mas tive que trabalhar hoje. Mas não tem problema, vou hoje e volto domingo.
Domingo é o aniversário da minha maricotinha e por isso estou indo para a comemoração. 8 anos já! E a gente só envelhece, pelamor! 
---------------------------
Estou neste momento com uma dor de estômago sem precedentes. Nunca tive nada assim, e logo hoje foi escolher para me atacar isto! Horrível isto. Como se tivesse uma bola de chumbo no estômago. Ouch.
---------------------------
E pensando nessas coisas, em Floripa, que para quem não viu está sofrendo uma onda de violência, criminosos por todos os lados incendiando ônibus urbanos, com centenas de pessoas inocentes que tem que sair às pressas, sem contar os funcionários (o que também me assusta muito, já que meu cunhado é motorista de ônibus), os ônibus tendo que circular escoltados por policiais, mais bandidos jogando dinamite (DINAMITE! é de não acreditar!) em delegacias,... enfim, uma coisa horrível! Eu não gosto de ver noticiários, me deprime ver cada vez mais sangue, mais violência, e não leva a lugar nenhum ficar vendo esses banhos de sangue sem poder fazer nada, mas nesses dias tenho assistido de manhã antes de vir trabalhar para saber notícias destes acontecimentos horrorosos... cada vez coisas piores acontecendo. 
Sabemos que são sinais, que o fim, a volta de Cristo está cada vez mais perto. Quem dera Jesus voltasse logo mesmo para acabar com todo esse sofrimento e tanto mais que está acontecendo pelo mundo afora, pois é doloroso e assustador demais ver essas coisas acontecendo, principalmente quando nos afeta pessoalmente. 
Pensar que logo Jesus vai voltar e o mundo será uma nova terra, do jeito que o jardim do Éden era, perfeito, sem morte, sem uma folha de árvore murchar ou um cabelo cair, sem câncer, sem velhice, sem doença nenhuma, nem dores, nem morte, nem separação dos nossos amados, sem crime, sem mentira, sem incertezas de dinheiro, de segurança, selvageria, solidão, inveja, guerra, destruição, terremotos, nada!... morar de maneira perfeita, com todas as pessoas que amamos ao nosso redor, comendo apenas o que a terra oferece, caminhando lado a lado com animaizinhos e animaizões livres, em paz, brincando com tigres como se fossem gatinhos e com rinocerontes tão mansos quanto cachorrinhos, desfrutando uma natureza de árvores e flores como nunca se viu igual, nossos corpos restaurados à forma perfeita, e Cristo Jesus caminhando lado a lado com a gente, desfrutando dias maravilhosos sem fim... vai ser perfeito, essa é a nossa esperança. Este mundo está perto do fim, e Deus irá nos resgatar, travar a batalha final e vencer, pois Cristo já venceu por cada um de nós, e já nos resgatou... tão somente temos que aceitar a salvação de que Ele morreu por nós, de que Ele se tornou o resgatador de nossas vidas, nos tirou da condenação que a raça humana teve por ter pecado em primeiro lugar. Porque Ele nos resgatou e ressuscitou, vencendo a morte, temos a certeza de estarmos salvos, se aceitarmos Seu sacrifício de ter se entregado por nós.

EU ACEITO! Eu quero esse céu, estar nesse lugar restaurado, onde tudo será perfeito, onde nós mesmos seremos perfeitos outra vez. Eu quero estar lá, e quero a todos meus amigos lá também. Eu aceito a Jesus dia a dia, me entrego e peço que Ele me guie, quero me apegar a Deus mais e mais, porque quero que Ele volte logo e acabe com todo este sofrimento, e nos leve para esse paraíso restaurado. 
Eu quero! E você?

novembro 12, 2012

Não tô legal

É esse mau humor de segunda.

Precisando sei lá o quê, não sei o que quero. Tô de mau humor mesmo. E sono. E culpa por ter comido um monte de bolo de chocolate que eu mesma fiz ontem. Não devia ter feito, mas quis "mimar" o Enos e pronto, lógico que acabei comendo um monte também. 

Começamos a lixar e pintar a minha cama. De azul! Vai ficar linda, diferente de tudo que eu já tenha visto. Quem sabe no feriado, se eu não viajar, terminaremos de pintar.

Preciso fazer exercício. Estou considerando seriamente em entrar em uma academia (tem várias aqui por volta do meu trabalho), mas sei que vou desanimar logo porque vou basicamente perder minhas noites fazendo algo que não curto. E vou começar a sentir que estou vivendo para trabalhar e ir na academia, e não vou ter tempo para meus pequenos prazeres cotidianos, como simplesmente ficar em casa fazendo um crochê ou lendo um bom livro.
É, a resolução já foi por água abaixo.

Preciso encontrar uma academia que tenha internet, para ficar na esteira vendo o netflix ou conversando com gente amada. Senão o tédio me mata. Morro de tédio de academia. Blergh.

Mas ao mesmo tempo detesto ver essa minha imagem pançuda no espelho.

Não tô legal. Segunda feira é um saquinho.

Preciso me abster de açúcar. Isso também me deixa de mau humor (primeiro o efeito do açúcar, e depois a resolução feita de me abster dele, porque doce é bom).

Ah deixa pra lá. Só mais um post de queixas de segunda.

novembro 09, 2012

Estou ouvindo sem parar

Porque o coral do tabernáculo do Brooklyn é muito digno e porque é lindo de se ouvir, e porque sim mesmo. É lindo. Ouçam que vão gostar.

Fazendo preparativos. Amanhã (sábado) vou receber para o almoço depois do culto alguns amigos, não muitos, só um casal e mais uma menina, e mais meu namorado, até porque a minha casa é pequenina e nem mesa tem direito. Vai ser um junta panela na verdade, mas quero receber direito afinal, é a primeira vez que -finalmente- posso organizar um almoço. 
Gosto dessa parte de ser anfitriã, de receber, e de cozinhar para os amigos também. 
Eu sou vegetariana mas meus amigos (e o namo) não, então a minha amiga vai preparar peixe e arroz, eu vou fazer um assado, salada de feijão branco e uma sobremesa lightzinha, uma gelatina de kanten, de coco e manga, com uma calda de chocolate honestíssima e bem calórica que é receita da família da minha mãe. Faremos um pirão d'água na hora (pirão TEM que ser feito na hora) e está pronto nosso almoço de inspiração praiana, porque as duas amigas convidadas tem um pezinho em Santa Catarina também.
O único porém é que estou vendo que o gas lá em casa vai acabar de um momento a outro. Pela lei de Murphy, o gas só acaba no meio de um algo assando no forno, e sempre no dia menos conveniente (no caso, o sábado). Até fiz cookies ontem à noite (para outro propósito) e assim, aproveitando, o gas teria a chance de acabar ontem à noite e eu poderia ligar para a reposição hoje quando chegasse do trampo, mas o danado não mostra sinais de querer acabar. Oremos para que não acabe agora. 

Como minha ansiedade não deixa e porque me vi mais fininha no espelho, subi na balança hoje de manhã. Mesmo tendo cometido diveeersos deslizes durante estes dias, consegui perder quase o quilo inteiro que tinha me proposto para a semana. Sei que é o inchaço que saiu, e não gordura, mas está valendo. 
Sim, eu trapaceio a mim mesma. :P

E é isso aí pessoal... vamo que vamo, que o dia promete. 
Rsrs.
Bjos!

Edit.: Ah, e hoje seria o aniversário do meu falecido avózinho. Saudades daquele senhor magrinho, magrinho, quietinho, que fumava sem parar, cuidava das plantas, gostava de novela e lia muito, e de quem herdei o gosto pela leitura e a mania de colecionar livros. Um dia hei de ter uma biblioteca (para mim e aberta ao público, talvez) e a chamar: Biblioteca Vovô José - In memoriam. Vovô José que se formou advogado na Faculdade de Direito de São Paulo, no Largo de São Francisco e depois, quando a minha mãe estava prestando vestibular, prestou também, entrou no curso de administração e se formou, o tiozão da turma. Uma grande inspiração, cuja lembrança guardo com muito carinho.

novembro 07, 2012

Comemorando

A primeira madrugada em mais de 1 semana que não acordo com um ataque de tosse!

Aeeee!

Dormi tããão gostoso!

novembro 06, 2012

1 mês


Será que tem algo mais gostoso que acordar no dia em que faz 1 mês de namoro com uma mensagem do amor, logo cedo?
Tô aqui, toda bobinha.
Ele me faz rir, gosta de me ver brava de mentirinha e de me chamar de princesa, de coisa mais linda de Deus. Ele me surpreende com cada gesto, como ontem quando me mandou uma mensagem dizendo que tinha arranjado a tinta para pintar a minha cama, ou no dia que ficou me enrolando dizendo que ia não sei aonde com "uma amiga" só para ver o que eu diria (e eu fiquei entre brava e sem querer acreditar, e logo saquei a jogada hahaha), quando na verdade estava indo para minha casa e de repente me diz: "estou aqui na frente, abre a porta pra mim?"
Ele sempre lembra que eu gosto de Sonho de Valsa.
Ele tem uma voz linda e doce, e canta, e toca violão, e me incentiva a cantar junto, e eu perco a vergonha de cantar.
Ele tem sempre uma palavra de incentivo.
Ele gosta de como eu cozinho. E cozinha junto!
Ele gosta de filmes. De comédias românticas, e de filmes de ação de super heróis. Como eu.
Ele fica todo envergonhado para tirar fotos, mas o estou convencendo a se soltar porque eu gosto de fotos. :D
Ele me faz bem. Me faz querer ser uma pessoa melhor. Me ajuda a querer me refrear e ser menos louca com as palavras, a pensar melhor antes de falar. A orar mais e me apegar mais a Deus.
E eu vou sendo cada dia um pouquinho mais feliz por ele estar ao meu lado!

P.S.: O único defeito dele é ser corinthiano. Rsrs. Ok, ninguém é perfeito.

novembro 05, 2012

Noticinhas

* Feriado bom, tranquila, em Curitiba mesmo, com o namorado. Low profile, bem de boa.

* Continuo tossindo. Horrível. Acordo de noite com ataques de tosse horríveis, que não passam até eu não levantar, tomar água e me acalmar bem. Estou cansada disso.

* Ah, deu certo de ir buscar a cama. Quinta feira, orando para que não chovesse, terminei a jornada e fui rapidinho na loja de móveis usados. De lá fomos pegar o colchão na casa da amiga da minha amiga,  voltamos para a loja (é tudo pertinho), carregamos a cama, fomos descarregar tudo em casa. A minha amiga foi junto e já olhou a casa, já que é candidata a ser minha nova roommate. Aí depois foi embora e eu montei o que será minha cama por alguns dias: somente a grade com o colchão em cima porque a cama mesmo vou lixar e pintar. E fim.

* O negócio tá feio. 63 kg! Outra vez! Certo, estou naquela época do mês em que fico mais inchada, mas mesmo assim não justifica. Dieta já!
Meta para o mês de novembro: -1 kg por semana, pelas próximas 4 semanas. E ler 2 livros (estou com um quase acabando faz tempo).
Meta para a semana: -1 a 1,2 kg até segunda feira que vem. E terminar o livro que está quase acabando.

novembro 01, 2012

Tossindo...

E tossindo mais um pouco.
Desde a viagem do Coral, em que submeti a minha voz e a minha garganta a um esforço que não estavam acostumados, voltei meio rouca, e depois de uns dias a rouquidão se transformou em tosse. Que ao invés de passar, ficou mais intensa.
10 dias e continuo tossindo. Argh! E resfriada.
Ruim que o corpo começa a cansar de tanto tossir, dói os músculos, cansa. Esses dias acordei com um surto de tosse que não queria parar, tive que levantar, acordar completamente (todo um processo, sabe?), sentar direito, beber água, e lá pelas tantas parou.
Minha terapia atual é: mel, limão, maçã, gengibre, pastilhas de menta para evitar a coceira na garganta e a necessidade de tossir por vício. E observar que não esteja tossindo por vício. Tipo, quando dá a vontade de tossir, respirar fundo e ver se passa a sensação ou se realmente preciso. Água e mais água.

E ontem para completar peguei a maior chuva na volta do trabalho. Guarda-chuva para quê, né, com o vento não adiantou de nada. Cheguei na casa do Enos ensopada, ainda bem que ele é amoroso e cuidou de mim, me emprestou roupas dele (eu estava lindíssima ne, era a comemoração do casamento da mãe dele, mas quem disse que me importo? Rs. Tomei chuva, tive que trocar, pronto. Rs. E a mãe dele gosta muito de mim), secou meu cabelo, um amor esse meu namorado!

Ah ta. Não sei se tinha contado que a moça que mora comigo vai casar e mudar. Então, isso mesmo. Gosto dela, mas fico feliz porque algumas atitudes me incomodam.
Enfim, ela já levou diversos móveis, já que tudo dentro de casa é dela, inclusive a minha cama. Faz 2 semanas que durmo no sofá-cama, que assim, não é a coisa mais confortável do mundo, mas também não é o pior.
Enfim, daí uma amiga (que provavelmente irá se mudar comigo, no lugar da que está saindo) arranjou um colchão para mim! Passei numa loja de móveis usados, conversei, reservei uma cama de madeira, então o rapaz vai buscar meu colchão e levar os dois para mim. Tcha-rãããn!
Vou voltar a dormir numa cama. :D
A idéia da cama de madeira (e não de mdf) é porque quero mudar a cara dela. Lixar, pintar, etc. Como a minha mãe faz! Não sei se vou ter a disposição necessária para isso tudo, mas vale a tentativa. Precisava comprar lixa hoje, para aproveitar o feriado e começar o trabalho, mas aqui no bairro acho que não encontro. Buu.
Ah, e precisa não chover. Que senão não tem como ir pegar. E aí, feriadão no sofá. Rsrs.

outubro 30, 2012

Furacão Sandy

Com o coração apertadinho vendo as imagens e notícias do furacão Sandy passar lá por NY.
Eu tenho uma ligação muito forte com aquela cidade, e muitos amigos por lá. Brasileiros, americanos, e de outra meia dúzia de nacionalidades, como não podia deixar de ser. NY pulsa vida, movimento, agitação, novas idéias, o tempo todo. Eu amo aquele lugar, morei 2 anos por lá em Larchmont e NYC era praticamente o pátio de casa. Eu andava no Central Park e dava indicações bem 'guia turísitco' para as pessoas que perguntavam. Eu fazia roteiros e levava cada pessoa nova que chegava na cidade para conhecer as principais atrações. Foi meu lar por algum tempo, não apenas uma metrópole aleatória que os filmes adoram retratar com catástrofes. 
Desta vez foi feio.
A imagem do Empire State solitário, a única luz na parte baixa da cidade, é de cortar o coração. A foto da fila de ambulâncias evacuando pessoas do NYU Hospital me encheu os olhos de lágrimas. Porque a gente acostuma a ver uma metrópole assim como algo imponente, inabalável... mesmo sabendo, mesmo estando na Bíblia, que quando Cristo voltar não só NYC mas todas as metrópoles vão ser abaladas, destruídas, o terremoto vai ser gigante... mesmo assim, ver a destruição, a força da natureza chegando assim é assustador e triste.
De meus muitos amigos, não tenho tido notícias hoje. Ontem à noite vi novidades diversas, todo mundo se preparando muito bem. Imagino que estejam todos bastante ocupados arrumando o que tiver sido quebrado com a fúria do vento, limpando água das partes inundadas, talvez sem eletricidade. 
Querendo ou não, a preparação dos EUA para eventualidades deste tipo é muito melhor que a nossa, desde o momento em que não se constroem galpões simplesmente com telhados de chapa ondulada (que voam com o primeiro ventinho), até o ponto em que a maioria das construções tem sem basement (porão), as pessoas são instruídas a proteger suas janelas com placas de madeira, ou fita em forma de X (se os vidros estourarem, ficam no lugar e ninguém se machuca), a ter um plano de emergência e mantimentos dentro de casa (alimentos não perecíveis e que não precisem ser preparados, frutas, e principalmente bastante água pois nunca se sabe se o suprimento de água sofrerá danos e precisará ser interrompido e por quanto tempo), enfim. 
Aguardando e orando.

outubro 29, 2012

Tá bom!

Tá, vou facilitar a vida de vocês.

No clipe 1 (o que postei mais em cima) apareço no meio da galera em 0:33 e 0:52.
No 1:05 aparece a minha carinha.
Em 1:22 apareço na tomada geral de novo.
Em 1:36 na cena do grupo, do lado esquerdo (de blusa bordô).
Em 2:07 de novo na tomada geral.
E em 3:31 ou 3:32 gargalhando.

E só.

No segundo clipe, fiquei do lado de fora conversando e quando entrei no galpão, já estava todo mundo sentadinho e só tinha lugar no fundão. Ou seja, praticamente fiz só figuração. Só para preencher espaço. Rs.

------------------
Ainda estou com sequelas da viagem. A rouquidão da semana passada deu passo a uma tosse irritante que não quer ir. Chatice.

Tivemos junta panelas no sábado, com uma turma da igreja. Fiz sobremesa: palha italiana (porque é fácil, econômico e gostoso e eu estava sem ingredientes em casa, sem tempo e sem dinheiro). Caprichei, cortei em quadradinhos, passei em coco ralado misturado com chocolate, coloquei em papeizinhos. Ficou praticamente intocado!
Mas também, temos um amigo que é chef e está de férias, então levou nada menos que uma torre de carolinas recheadas com brigadeiro e doce de leite. Quem iria querer humilde palha italiana se tinha carolinas, e apresentadas tão maravilhosamente? É, nem eu.
Outro cidadão fez mousse de cupuaçu e chocolate, com morangos.
Covardia.
Tenho palha italiana para a semana inteira agora. Rsrs.
E isso porque esta semana ia desintoxicar (oooutra vez! Mas é que nunca dá certo) meu corpinho do açúcar.
Então, não vou comprar doces, e vou me restringir APENAS aos quadradinhos da palha que estão na geladeira. E mesmo assim aos pouquinhos.
Preciso voltar a perder peso! Estou engordando de novo! Isto não pode acontecer! Aaargh!

outubro 23, 2012

Apresentando...

... Ministério Chama Coral!



Tratem de me encontrar! Apareço em alguns momentos. Rsrsrs.

Ontem foi o programa de divulgação do Chama na tv Novo Tempo, foi bonito e emocionante ver nossos representantes lá, falando para o mundo todo. E nossos clipes! Ficaram tão legais!
Mas o melhor, o melhor de tudo, é ver a união desse pessoal. Junto com o Coral existe o Intituto o Amor Chama. Saem projetos sociais várias vezes por ano, desde distribuição de lanches para pessoas carentes, recolher alimentos e levar para lugares com menos recursos, ou organizar um chá de bebê, ir fazer uma apresentação em um lugar mais distante, os diretores propõem e o Chama abraça. 
Estou muito feliz de fazer parte deste grupo!

outubro 22, 2012

Resuminho da Viagem

Ai gente, a viagem foi maravilhosa e mais um pouco!

Foi mesmo uma maratona, estou quase sem voz (ainda bem que para escrever não preciso de voz, só de dedos, rs), mas foi tão bom! Foram tantas alegrias, tantos momentos de risadas, as apresentações então, não tem preço fazer parte deste ministério que se chama Chama Coral (se chama Chama, sacaram? Rs), estar lá na frente entre o pessoal, cada um entregando sua voz e suas possibilidades nas mãos de Deus e cantando sinceramente, e vendo nos rostos das pessoas que estão assistindo o quanto dessa emoção estamos refletindo e passando a elas também. 
Gostoso é ver as pessoas acompanhando, porque esse é o objetivo do nosso coral, que é diferente de muitos outros corais: projetamos as letras das músicas, e animamos as pessoas que estão assistindo para que cantem junto com a gente, batam palmas junto com a gente, e façam as dinâmicas que propomos. E as pessoas gostam! Se sentem incluídas, fazendo parte.
Gostoso foi viajar juntinho com o namorado, apesar de que o pobre coitado estava com dor de dente e passou o final de semana na base de remédio. Foi bom poder estar à disposição dele também, para o que precisasse. 
Gostoso foi fazer a homenagem a minha amiga que estava de aniversário. Não deu para comprar o cupcake nem a velinha, mas Deus segurou minha amiga em casa e ela se atrasou para o ensaio prévio à partida, então aproveitei para circular o cartão pelo coral todo que estava ensaiando (imagina uma louca correndo pra lá e pra cá entre as cadeiras? Então, isso mesmo). No sábado à noite, todos reunidos para jantar no colégio onde ficamos hospedados, fila para a comida, todo mundo orou para agradecer e de repente um dos grandões aparece e a carrega para o centro do círculo (ela é pequenininha) e cantamos todos um parabéns pra você bem barulhento. Foi muito legal! E ela amou o cartão também. Fiquei feliz.

Gostoso foi visitar as instalações da Rede Novo Tempo de TV e rádio em Jacareí. Aí são filmados, gravados e produzidos todos os programas da rede que assistimos, e tivemos a oportunidade de ver de perto cenografias, estúdios, e até um programa que estava prestes a ser gravado (o apresentador ficou meio sem graça com o monte de "turistas" barulhentos aparecendo para fotografar e fazer as macaquices típicas de turistas, mas foi divertido).
Gostoso foi tirar muitas fotos, sentir a voz ir se acabando e pedir a Deus por um pouco mais, só até terminar a apresentação. E perceber que Deus concede! Gostoso foi ser bem recebido em todos os lugares que fomos, onde nos alimentaram muito bem (tudo vegetariano gente, e de-li-ci-o-so de nenhum onívoro botar defeito. Tem coisa melhor?) e até nos elogiaram por ter deixado as salas do colégio mais limpas e organizadas ainda do que estavam. Eu francamente me surpreendi, porque não é fácil fazer com que 120 pessoas se organizem, ne? Mas correu tudo perfeitamente bem e a viagem foi uma bênção!
Não tão gostoso assim: bom, além da dor de dente do mocinho, as noites foram, como de se esperar, difíceis. Duas noites em ônibus, semi leito e tudo mais, mas ônibus enfim. Eu não tenho problema de dormir, mas acordo várias vezes, mais a parada para banheiro no meio da viagem, que agita tudo e depois da qual ficamos de conversa um tempão, sem sono, e mais ainda com o Enos acordando para tomar remédio, tadinho. E o barulho de ônibus o tempo todo, a qualidade do sono é bastante ruim.
A noite "do meio" foi no chão do colégio, numa sala com um potente ar condicionado. Potente demais, já que todas as mocinhas acordamos com muito frio (mas não tinhamos o controle de temperatura, que estava no quarto dos homens e ninguém acordou para pegar). Mas pelo menos algumas tinham levado edredons inteiros, cobertores gigantes, etc. A bonita aqui levou uma cobertinha tipo de avião. Porque né, ia estar quente (e estava, do lado de fora. Rsrs) e a ideia era economizar espaço. Ou seja, né, vocês tirem suas próprias conclusões. Apesar de dormir de calça e jaqueta de moletom, passei o maior frio. E além disso, foi a troca para o horário de verão, ou seja, perdemos 1 hora de sono precioso. Damn!
Ou seja, tô acabada de sono. Chegamos hoje às 5 da manhã, e foi o tempo de chegar em casa e cochilar 20 minutinhos (acordando 2 vezes nesse tempo, achando que tinha perdido o horário), tomar um bom banho e correr para o trabalho, onde meu cansaço é tão visível que já vieram me perguntar várias vezes.

Mas enfim, deixo o convite: hoje às 18:30 h vai ter uma pequena delegação do nosso coral, que ficou em Jacareí, e estará nos estúdios da Novo Tempo que visitamos ontem, mostrando ao vivo para o Brasil e o mundo o que o nosso coral tem feito. E aí vão os clipes que filmamos esses dias atrás, onde apareço também em alguns flashes, rsrsrs.
Então, a quem interessar possa, hoje dia 22/10, 18:30h horário de Brasília, pelo site da Novo Tempo ou para quem tiver, canal Novo Tempo (tem em várias cidades do Brasil, em tv aberta e tv a cabo), programa Caixa de Música com o Chama Coral.

Ainda não baixei as fotos, quando baixar mostro. :D

outubro 19, 2012

Preparativos

Chegou o grande dia! Hoje à noite vou viajar com meu amado Chama Coral, para um final de semana maratônico (hein?). 2 dias e 3 noites, das quais 2 passadas dentro de um ônibus. 3 apresentações e mais 1 visita às instalações da rádio/TV Novo Tempo. 
A expectativa é gigante, a viagem é muito esperada, e mais ainda agora que estou namorando e o namorado também é do Coral, então vamos juntos. E mais uma porção de amigos, porque quase todos nossos amigos são do Coral também. 

Mas é claro que, como não podia deixar de ser, deixei tudo para o final. Separei "noite de quarta" e "noite de quinta" para fazer as coisas, até porque algumas coisas nem adianta fazer muito antes da data. Só que na noite de quarta estava pregada do avesso e fiquei com a parte fácil, porém inadiável: sobrancelhas! Cuidei das benditas, aproveitei para tirar o esmalte e lixar as unhas (sabia que as unhas teriam que ser feitas por etapas. Me conheço! Rsrs) e pronto. Era para ter separado as roupas para a viagem, e se desse tempo até fazer a mala já. Aham, senta e espera.

Sobrou tudo para noite de quinta.

Eis que quinta me lembro que sábado, durante a viagem, é o aniversário de uma amiga também do Coral. Poxa, vai passar o aniversário viajando com a gente, longe da família e do namorado. Decidi preparar uma surpresa para ela, que como não lê este blog não tem problema de eu revelar (eu e meus planos mirabolantes): um cartão gigante, que todos os amigos possam assinar (ainda não sei como vou fazer para circular um cartão gigante entre a galera sem a amiga perceber, mas são detalhes), e um parabéns cantado no ônibus, com direito a soprar a velinha num cupcake
Mais uma tarefa para quinta a noite. O cartão, digo, porque o cupcake vou comprar pronto. Ainda não providenciei.
Aí o namo me pergunta se quero ajudá-lo a escolher um tênis. Poxa amor, faltava dizer! Você é minha prioridade. Claro que quero!
Saio do trabalho, compro a cartolina para o cartão gigante no caminho, encontro o moço, vamos comprar o tênis... 9 e meia da noite chego em casa. Sopinha de pacote rápida com uma colherada de mix grãos dentro para dar uma fortificada, e vamulá pro cartão! Ainda bem que nessa parte me garanto, ficou bem bonitinho! Esperar secar a cola glitter enquanto corro para tomar um banho. Não dá tempo de lavar o cabelo, até porque amanhã tenho grandes planos para o cabelo. Pausa para risada terrorífica de desenho animado: Mhuahahaha. Despausa e volta para a realidade. Ah sim, banho. Aproveita para amolecer as cutículas. Sai do banho e empurra/tira as cutículas enquanto a pele está molinha. Passa uma base nas unhas para adiantar o serviço. A noite de quinta ficou curta, vamos ter que acordar mais cedo (ui!) para fazer as coisas que faltaram. No meio tempo, tirar as coisas da mala pequena que se pretende levar (e que estava cheia de pequenas tralhas).
Noite de poucas horas de sono em que a ansiedade não me deixa dormir, e ainda acordo como se tivesse uma mola. Tóimmm. Banho, cabelo, e voilà, tesoura em mãos, picotar o cabelo todinho. Disse que tinha grandes planos para ele, não disse? Já estava muito inteiro, precisava dar uma picotada. Mas não mexi no comprimento, estou deixando crescer! Só picotei as camadas de cima, da maneira mais "criança que pegou a tesoura sem os pais verem" possível. Começa a secar e... eis que tenho cachos! Meu sonho se cumpriu! Obaaa!
Mas não é hora de se admirar no espelho, corre lá para terminar o cartão (que não deu para terminar ontem por causa da cola glitter), otimiza um café da manhã, se veste para o trabalho enquanto joga as primeiras coisas dentro da mala e vai pintando as unhas. 
Ainda decide que, como o nível de dificuldade ainda está pouco, quer fazer unhas degradê. Que, é claro, na pressa ficaram uma caca. Sem problemas, de longe estão bonitas, e o formato ajuda. Já contei que nasci com o gene da unha boa? É a compensação para meu gene ruim de cabelo branco precoce. Essa negociação está em paz pelo menos.
E então, sai (a pé de novo! Mas é que é tão menos estressante do que o ônibus!) para o trabalho. A maquiagem fica para quando chegar lá (saiu com uma base e blush no rosto e só). Para o horário do almoço, restou ir no mercado comprar umas guloseimas para a viagem (gostaria de ter feito cookies para me gabar de meus dotes culinários dividir com meus amigos, mas não deu tempo meeesmo), e não esquecer do cupcake e um pacotinho de velas de aniversário. E fósforos! Quando sair do trabalho, correr para casa, banho, lanchinho, arrumar a mala sem esquecer de nada, inclusive a câmera, o cartãozão, travesseiro e tudo o resto, e partir de novo para a igreja, que vai ser o ponto de encontro. Ah! Ainda ensaiaremos as músicas antes de pegar a estrada. Ufa! 

Vai ser tão bom!!!
Cabelo novo, cacheado e amado! E meus dedos gigantes que amo.

Unhas degradê-mio-fail-mas-bonitas-de-longe. Rs.
Favor não reparar na megaespinha que está crescendo entre o queixo e a boca. Minha pele anda tão oleosa! Não sei por quê.

outubro 18, 2012

Das delícias de se perder por aí

A melhor maneira de conhecer um lugar é andando. E, inevitavelmente, se perdendo. 

Faz dois meses que me mudei, e (com as devidas exceções), não posso dizer que realmente conheça o bairro. Sei chegar em casa de ônibus, mas não sei dar indicações para quem está vindo de carro (além do clássico "segue o ônibus"). 
Como trabalho bastante perto de casa, ontem decidi voltar do trabalho a pé. Não é difícil, e tem algumas vias principais que ajudam a não se perder. O problema é que, tirando essas vias principais, as ruas são bastante sinuosas. 
Fui indo, passei por um supermercado que já tinha visto mas nunca entrado, comprei um biscoitinho salgado para ir lanchando pelo caminho. Raciocinei um pouco no meu senso de direção, que de modo geral é bastante confiável. Fui indo bem, indo bem, comendo meu biscoitinho integral, saudável e delicioso... e de repente comecei a duvidar do meu aguçado (ou nem tanto) senso de direção. Cheguei num muro, e mais além podia ver umas ruas que não me inspiraram confiança. A rua fazia um V, decidi tomar o caminho da direita, pois me pareceu que o da esquerda se internava dentro de um bairro que não era o meu. E fui. 
Uns 15 minutos depois percebo que tinha voltado para a artéria principal, que supostamente estava às minhas costas, só que mais à frente do ponto de partida. Como assim?!?! Pois é. Sentindo que estava dando o braço a torcer, saquei o iPod e dei uma olhada no mapa para me orientar. Não estava longe! Só tinha perdido a direção em algum ponto daquele ziguezaguear. Me orientei de novo, e em mais 15 minutos estava em casa. Já era noite. À noite, realmente, minha visão cai muito e meu senso de orientação cai junto. Rsrs.

Hoje de manhã, já que não sou brasileira de fato mas também não desisto assim tão fácil, e vendo o sol delicioso que vinha chegando, decidi vir até o trabalho andando. Agora vai! Sair do bairro é mais fácil, é só chegar na artéria principal e seguir o fluxo. 
Andei uns 5 minutos. E então, surpresa das surpresas, encontrei o muro, aquele do relato ali em cima, onde a rua se dividia em V e eu tomei o caminho da direita. Cheguei ao muro através do caminho da esquerda! Estava a menos de 5 minutos de minha casa!
Que coisas, não? Quantas vezes o caminho do olhar, do coração, do instinto, nos leva ao lugar errado, ou de volta ao ponto de partida! Sendo que às vezes estávamos tão perto do destino!

(Este post era para ser uma anécdota jocosa e se transformou numa reflexão profunda. Pelo menos para mim. Não me tire essa ilusão, sou carente lembra?)

outubro 16, 2012

De feriados, decoração e cactos

Porque né, vocês sabem que começo falando de um assunto e termino vai lá se saber onde.

Ah, delicinha de feriado!
Não houve 1 minuto de sol ou de calor na fria, nublada e (de vez em quando, chuvosinha) Curitiba. Não que isso importasse! Namorado Fofo e eu nos divertimos com programas alternativos tipo ver muitos filmes, tocar violão e cantar, e fingir para a sogra que sei cozinhar
(Mentira, eu me defendo. Mas o namorado, quem diria, surpreendeu! Ganhei um mestre-cuca pessoal. Rsrsrs).

O povo chato que estava azucrinando passando uns dias em casa, decidiu ir embora no sábado. Ahh agora sim, casa só pra mim! 

Minha roommate está se mudando em breve. Bom porque: apesar de ela não estar nunca em casa, algumas de suas atitudes/ações me chateiam. Inclusive a saga dos visitantes espaçosos. E já tenho quem venha morar comigo, e é uma amiga bem mais compatível com meu estilo de vida. 
Ruim porque: a maioria dos móveis (por não dizer tudo, da pia da cozinha à minha cama) são de sua propriedade, ou seja que vou ter que dar um jeito de providenciar pelo menos o básico. Bom que ela se dispôs a deixar algumas coisas emprestadas por uns tempos, e são precisamente algumas das coisas mais necessárias. Afinal, eu me mudei não tem nem dois meses, para uma "casa mobiliada" e não é muito justo simplesmente sair assim, deixando a pessoa a se virar. 
O outro ponto positivo, é que vou poder ajeitar a casa e deixar mais a minha cara, claro, respeitando o orçamento doméstico que é bastante apertado, mas uma coisinha ali e outra aqui vão fazendo a diferença.

Por exemplo, agora no horário de almoço estive numa floricultura que tem aqui pertinho do meu trabalho. Saí de lá com um simpático cacto (simmm cacto! Tenho que me assegurar que seja algo que sobreviva nas minhas mãos! O que esperavam, um peixinho dourado?)
Meu cacto é lindo. Vai se chamar Rose.
(Sim, eu ponho nome nas plantas se eu quiser. Foi só olhar, e o nome surgiu. Tinha que ser Rose).
Queria um vaso mais bonitinho do que este de plastiquinho preto, mas apesar de não estar caros, os vasinhos estavam o preço do cacto. Deixa por enquanto.
Até porque, não tenho ferramentas de jardinagem. Alguém já imaginou esta desastrada tentando transplantar um cacto, sem ferramentas? Não, não imaginem.

A respeito de cactos, me lembrei de uma anécdota (esta vai para você mamãe, que se lembra do ocorrido): 
Quando era adolescente e fui fazer um piquenique num parque com amigos, encontramos um cacto selvagem, grande, bonito (tipo, um arbusto de cacto), coisa mais linda. Daí eu quis porque quis um cacto em casa e tive a brilhante ideia de arrancar um pedaço e levar para plantar (cactos crescem assim). Nem me lembro como, consegui arrancar uma folha espinhuda, mas e como levar? Empacotei num guardanapo e pus dentro da mochila, uma mochilinha dessas tipo saco, de tecido com alça de corda, que eu usava para ir no colégio. 
Por que minha poderosa perspicácia não me permitiu colocar a folha de cacto dentro do tupperware vazio que eu estava trazendo de volta do piquenique? Nunca irei sabê-lo. O caso foi que, mesmo me preocupando em manter a folha EM CIMA do tupperware e não embaixo para não amassar (olha a perspicácia aí gente), as micro espinhazinhas que eu não tinha notado começaram a se espalhar e grudar na minha mochila de tecido, depois de lá através da minha camiseta até pinicar a pele das minhas costas. Lógico.
Levou umas duas semanas, mesmo com lavagem, pinça de sobrancelhas, lupa e muita paciência, para retirar todas aquelas espinhazinhas quase invisíveis da mochila. Que lógico, era a única que eu tinha (mentira, mas era a mochila do momento. Adolescentes.) e portanto a utilizava mesmo assim para ir à escola. E voltava pinicando. No esforço por me livrar da praga, ganhei também as malditas espinhas se enfiando nos meus dedos e debaixo das unhas, mas finalmente acabaram.
E o pedaço de cacto surrupiado do parque? Bom, se desenvolveu lindamente e virou um belo cacto, que teve que ser abandonado um par de anos mais tarde quando mudamos para o Brasil. De qualquer maneira, quando mudamos minha mãe (que logo se apaixonou pelo cacto tanto quanto eu) teve o cuidado de retirar uma das folhas mais novas e trazer junto. Hoje, uns dez anos depois, cresceu e virou vários cactos que ela ainda mantém na casa dela, viçosos e bonitos.

outubro 11, 2012

Momentos irritantes

Tipo, quando sua roommate (desculpa ae, tem palavras da língua inglesa que traduzem muito melhor o conceito do que a expressão em português, ou em espanhol. Eu uso mesmo! Rsrsrs) recebe em casa os pais, quer dizer, a mãe + o namorado caipira da mãe + a cachorrinha irritante. Por uma semana inteira! E sem data certa para ir embora!

Eunãoentendooo o que esse pessoal faz aqui, a não ser bagunçar a casa toda, cozinhar comidas pesadas que levam porco (ecaaaa e foi por isso que ressaltei que são caipiras, porque eita povinho que gosta de cozinhar carne de porco! Afff detesto! Me revira o estômago), deixar a cozinha feito uma zona e as pilhas de louça para lavar no dia seguinte (odeioooo quem faz isso! Para mim é: cozinha, come, lava, deixa tudo arrumado. E cabô), além de sumir com meus pertences tipo minha toalha de banho e usar minha comida (baixaram meu pacote de milho de pipoca, sendo que a outra tem pacotes de pipoca de microondas em casa. Isso sem contar a caixa de ovos que eu tinha acabado de comprar e esvaziaram, a minha margarina que baixaram geral também, sendo que a outra tem umas 3 margarinas abertas na geladeira, eu não tenho culpa se ela é desleixada e deixa os alimentos envelhecerem. E só Deus sabe que mais, que não percebi ainda). 

Assim, a roommate vai se mudar logo, então eles estão aproveitando para empacotar as coisas dela. E como passam o dia todo dentro da casa sem fazer nada, aproveitam para empacotar. Só que assim, a maioria das coisas dentro de casa são dela. A MAIORIA, mas não todas! Tem coisas minhas também. Vocês acham que eles perguntam de quem é o quê? Nããão! Assumem que é tudo dela e vão guardando! Ontem mesmo, esvaziaram uma estante e daí eu vi e pergunto para a menina (que a essa hora já tinha chego em casa, porque mais um detalhe, a roommate nem pára em casa! O que eles tem tanto para visitar a guria, se ela nem pára em casa! Aqui não é hotel pô!): cadê os livros que estavam nessa estante? Tinha livros meus aí! (Com toda a calma e educação do mundo, mas sem sorrir porque o negócio aqui é sério e não vou mostrar sinal de ceder). Aí foram procurar a caixa que já tinham empacotado e lá estavam meus livros junto com as coisas dela, tudo pronto para ir embora!

Ontem foi o cúmulo. Cheguei e estavam só os dois 'velhos' (e a cachorrinha irritante, que gosta de vir correndo lamber os dedos dos pés quando a pessoa sai do banho), daí chego e a mãe dela me diz: tiramos a veneziana do seu quarto porque vamos levar. Tipo, como assim, vocês entram no MEU QUARTO, meu cantinho, que estava com a porta fechada, para arrancar a veneziana? Custava esperar as 6 da tarde a que eu chegasse? Que tipo de invasão é essa? Nossa, fiquei muito puta. Chorei de raiva com meu namorado no telefone, tadinho, um santo ele! Fiquei trancada no quarto e saí mais tarde até a padaria comprar um lanche, porque estava inviável sequer fazer uma sopa de pacote na cozinha com aquele fedor de carne de porco. Quando voltei, ainda putíssima, a mãe dela veio explicar (não se desculpou) o porquê (sem lógica) de terem tirado a veneziana durante o dia. Eu só ouvi com meu olhar mais gélido e disse simplesmente com a minha voz mais cortante: deviam ter esperado eu voltar do trabalho. Virei as costas, deixei a mulher com cara de tacho, falei boa noite e entrei no quarto de novo.

Eu só peço a Deus, Paizinho atende meu pedido e manda esse pessoal voltar para casa hoje, assim eu posso ter meu feriado sossegado, em casa, já que vai chover e não vou ficar passeando na rua! Eu tenho direito a minha tranquilidade!

outubro 09, 2012

Quem quer feriado aí geeente!

Eu quero!
Não que não goste do meu trabalho, é muito bom! Estou bem feliz na empresa.
Mas é que estou planejando umas coisas. 
O tempo está tão gostoso, sol, calor, aquele arzinho de primavera! Aqui em Curitiba não tem mar, não tem rio (não que eu saiba, pelo menos! Rsrsrs), mas tem lindos parques. Não conheço todos, mas meu preferido so far é o Botânico, com suas árvores criando as sombras perfeitas para descansar e fazer um piquenique, seus lagos, jardins e fontes.
Mas então, meu gatinho também é relativamente novo na cidade, importado do Tocantins rsrs. Ele também não conhece muito, então planejar descobrir juntos os lugarzinhos, escolher nossos preferidos, está sendo muito bom. Quem sabe, se o tempo se sustentar, até sai um piquenique musical para o fim de semana (eu não toco nem campainha, mas o moço toca violão. E eu ouço embasbacada, claro. E até arrisco cantar junto).
Ahh, a primavera!

Glicínias, no Botânico. Foto da última vez que estive, em Setembro.

outubro 08, 2012

Tão bom...

É claro que me esqueci de tirar foto do look antes de sair. E da maquiagem (que ficou muito legal, gostei do resultado apesar de não me reconhecer no espelho). Até porque, não seria eu se não saísse de casa atrasada, cavando o pó. 

O gatinho estava me esperando na pracinha ao lado do terminal de ônibus, para me acompanhar à igreja. Um perfeito cavalheiro! Cheguei e estava de costas, lendo a inscrição da placa de uma estátua que tem na praça. Qualquer semelhança com a famosa cena do relógio em Titanic, é mera coincidência. Não pude deixar de perceber.

O look cumpriu sua missão... eu e minha modéstia abismal atraímos admiração na festa. Fazer o quê? Vida de estrela não é para qualquer um. Rsrsrs. Segundo as amigas, estava radiante. Mas o brilho não era somente por causa do look.

Aí no sábado... bom, no sábado eu e o gatinho conversamos. Agora estamos namorando!
Bem feliz!

Ontem teve mais atividades do coral e dei um belo fora. Foi assim: mais uma vez e para não perder o costume cheguei atrasada, suada e esbaforida, me indicaram onde ir, no caminho encontrei o gatinho e um amigo em comum já prontos na formação do coral, e no impulso (não sei, para não causar, por estar atrasada, por vir toda suada, por estar acostumada durante estas semanas a fazer de conta que éramos só amigos, ou tudo junto) só falei 'oi' para os dois e continuei. O gatinho, que tinha se inclinado para me dar um beijinho na bochecha mesmo, ficou no vácuo. O nosso amigo em comum, que estava do lado e que perde o amigo mas não perde a piada, ficou zoando da cara dele a tarde inteira. Eu fui para o meu lugar e então percebi o que tinha feito. Tadinho do meu lindinho! O deixei com a cara no chão. Esperei o intervalo e fui me desculpar. E ele, que é um fofo, tentou se fazer de ofendido mas não conseguiu. Nhoinnn.

Aí mais tarde fui na casa da sogra. Tremi na base, mas tudo correu muito bem e a sogra é uma pessoa muito simpática. E também é vegetariana! Vai facilitar as coisas quando for almoçar na casa dela. :P

E assim acaba um final de semana maravilhoso e começa uma semaninha curta com feriadão no final! Ahh que beleza!

outubro 05, 2012

Festa!

Hoje à noite ao invés do ensaio normal do coral (que já de por si é especial, e por isso se chama Celebração) vamos ter uma noite de estrelas, já que será o pré-lançamento dos clipes que gravamos há duas semanas (sim, nossos produtores são feras pracaramba para editar os dois clipes em duas semanas, tô passada!).

Então, como disse, vamos ter uma noite de estrelas! Gala e tudo mais!

Estou tão ansiosa!

Passei o dia planejando o que vou fazer com o cabelo e a maquiagem, quero caprichar pelo mero prazer de fazer algo diferente, de me arrumar. Até saí na hora do almoço e comprei duas sombras, uma preta e uma verde oliva, já que fazia tempo que não comprava maquiagem. Já que o look vai ser na base da improvisação, primeiro porque não tenho dinheiro para comprar roupas novas, segundo porque prefiro muito mais a criatividade de inventar o look com coisas que já tenho, reinventar, reutilizar, pensei em pelo menos dar uma variada no make com alguma coisinha nova. 
E vai mesmo ser bem simples, já que não tenho NENHUM vestido longo (casa de ferreiro, espeto de pau). O mais provável é que use um vestido preto, tomara-que-caia, de algodão, com saia rodadona, que paguei 8 dólares na Forever21 e que usei várias vezes nas mais variadas ocasiões, e uma bolsinha de mão que paguei 3 dólares na H&M e que nunca usei. O mais provável. 

O desastre fica por conta das unhas, que tentei fazer ontem. Queria testar uma ideia nova, mas me esqueci de que, com luz artificial de ambiente, não pode dar muito certo. 
Algo assim ó:

Uma base branco-rosé própria para fazer francesinha (que nunca fiz porque acho cafona, mas que uso direto como base e que ficou mega manchado e não percebi) + uma máscara com fita adesiva para fazer uma diagonal lilás. Hoje de manhã (porque precisa esperar 2 h para secar perfeitamente) passei o fosqueador. 
Detalhe: eu terminando de pintar ontem, meu pai (que estava chegando para me visitar) me liga para que eu o guiasse por telefone até a minha casa. Caguei as unhas com meu próprio cabelo, tentando segurar o telefone no ouvido. Não, a dumb aqui não pensou em utilizar o viva voz. Duh.
Detalhe #2: Como em quase todas as vezes, tive preguiça de tirar os cantinhos. Ficaram os "cantinhos de preguiçoso", esperando que com o lavar das mãos esses pedacinhos se arranquem da pele. Sim, sou dessas.

Mais tarde tiro foto do look para mostrar no próximo post. Se me lembrar. Já aviso porque né, me conheço.